Após incêndio em fábrica de esquadrias, em Arroio do Meio, proprietário estima prejuízo em R$ 1 milhão

Em madeiras, o valor do dano chega a R$ 700 mil. Além da perda de quatro máquinas, exaustores e 400 chapas de portas. Ninguém ficou ferido.

0
Um dos galpões da empresa, usado como depósito, foi consumido pelas chamas. (Foto: Gabriela Hautrive)

A quarta-feira (13) amanheceu diferente para Eri Armindo Rohde, que há 40 anos trabalha com esquadrias. Proprietário da fábrica Bela Vista, em Arroio do Meio, ele viu parte do seu trabalho ser consumido pelas chamas. Por volta das 21h40 desta terça-feira (12), Rohde recebeu um aviso no celular, indicando que o alerme tinha disparado. “Me preparei para vir olhar, enquanto isso o vizinho me ligou e avisou que tinha incêndio na empresa. Ligamos para os bombeiros e eles falaram que já haviam sido comunicados”, conta.


Ouça a reportagem

 


 

Um dos galpões da empresa, usado como depósito, foi consumido pelas chamas, gerando prejuízo estimado em R$ 1 milhão. Só em madeiras, o valor do dano chega a R$ 700 mil. Além da perda de quatro máquinas, exaustores, 400 chapas de portas e demais materiais que eram armazenados no local. “A gente fica triste, mas não dá para fazer nada. É material que queimou e isso a gente faz de novo. Ninguém se feriu, então o resto é bobagem.”

Darci Hergessel, vizinho e amigo de Rohde, que por 8 anos trabalhou como vendedor na empresa, viu a fumaça de seu apartamento, localizado na ERS-130, próximo a fábrica. “Cheguei em casa, olhei para fora, vi a fumaça e liguei logo para os bombeiros. Cheguei no local e vi esse incêndio de grandes proporções, mas graças a Deus, não tivemos perdas humanas, apenas perdas materiais”, relata.

Conforme o proprietário, os próximos passos é limpar o local e aos poucos dar continuidade ao trabalho. “Por enquanto o trabalho para por inteiro. Temos que fazer limpeza, faxina, reformar a parede que sobrou do pavilhão, para podermos continuar trabalhando de novo na sala de produção.”

Não houve registros de pessoas feridas e as causas do incêndio ainda são desconhecidas. Câmeras de segurança devem ajudar a identificar como o fogo iniciou. Os corpos de bombeiros de Lajeado e Estrela, entre dez profissionais, trabalharam no combate as chamas durante toda a noite e madrugada. Na manhã desta quarta-feira ainda haviam rescaldos do fogo no local. GH

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui