Até 2025, uma em cada dez crianças nascidas terá autismo, diz integrante de ONG

Rogério de Oliveira credita a maior incidência do autismo às crianças terem contato precoce com novas tecnologias em computadores, notebooks e celulares.

0
Foto: Ilustrativa

No Brasil, atualmente, há cerca de 2 milhões de pessoas diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). A patologia, que tem três níveis (moderado, médio e severo), ocorre em 1 a cada 56 nascimentos, e atinge mais o sexo masculino. As informações são do empresário Rogério de Oliveira, que lidera a associação pró-autismo Azul Como o Céu. “A previsão é, para 2025, a cada 10 nascimentos, um criança nascerá autista”, destaca.


ouça a entrevista

 


 

Oliveira credita a maior incidência do autismo ao fato de as crianças terem contato, logo cedo, com as novas tecnologias em computadores, notebooks, celulares, às babás eletrônicas. “As telas são limitadoras das ramificações neurais. Existem estudos que comprovam essa deficiência na evolução do quadro nas crianças”, conta.

“A criança não nasce com esse transtorno”, diz Oliveira, ao dar o exemplo de seu filho, atualmente com 3 anos e 10 meses de idade. “Até um certo ponto do crescimento, o cérebro está desenvolvido de uma forma. E quando ele começa a criar redes neurais novos para poder fazer novas coisas, ter novos gestos e atitudes, aí estagna. Então, na verdade, começa um processo regressivo”, explica.

Conforme ele, a organização não governamental (ONG) surgiu de uma conversa entre pais de crianças com autismo, e objetiva prestar um auxílio e acompanhamento a pessoas que não têm acesso aos serviços adequados. “Nós começamos a conversar sobre carências na área de profissionais, das leis e das políticas públicas de acessibilidade”, comenta.

“A partir do momento que a criança é diagnosticado com autismo, por lei, ela tem que iniciar o atendimento”, afirma. “É muito vasto essa questão do autismo”, percebe o integrante da ONG Azul Como o Céu. “Porque ela não tem um ponto de partida, e essa percepção pode aparecer cedo como também se manifestar de forma tardia”, pondera. TS

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui