Bom humor e qualidade do sono podem influenciar a memória de curto prazo

Pesquisadores descobriram que a idade afeta o aspecto "qualitativo" da memória de trabalho.

0
Foto: Reprodução/G1

Psicólogos nos Estados Unidos conseguiram verificar os efeitos de idade, humor e sono na memória de curto prazo. O estudo foi realizado pela Universidade da Califórnia – Riverside, e divulgado na última sexta-feira (10). Ele mostra como esses três fatores influenciam a “memória de trabalho”, aquela que armazena e gerencia temporariamente informações necessárias para tarefas imediatas.

Os pesquisadores descobriram que a idade afeta o aspecto “qualitativo” da memória de trabalho: quanto mais velha a pessoa, mais fraca e menos exata será sua memória de curto prazo. Já a má qualidade do sono e o humor deprimido estão ligados ao aspecto “quantitativo”: quem experimenta estas situações tem uma chance menor de ser lembrar de um evento.

Lembranças de curta duração

A memória de trabalho é a parte da memória de curto prazo que armazena e gerencia temporariamente informações necessárias para tarefas cognitivas, como aprendizado, raciocínio e compreensão. A memória de trabalho está diretamente relacionada a forma como processamos, usamos e lembramos informações recentes.

Essa memória é utilizada, por exemplo, quando um amigo pede que você chegue mais cedo ao trabalho no dia seguinte. Trata-se de uma informação que está ligada especificamente à realização de uma tarefa – por isso, memória de trabalho.

A pesquisa da Universidade da Califórnia é a primeira a relacionar isoladamente esse tipo de memória a cada um dos fatores analisados.

“Os três fatores estão relacionados. Idosos são mais propensos a experimentar humor negativo do que jovens adultos, por exemplo. A má qualidade do sono também está frequentemente associada ao humor deprimido”, explica Weiwei Zhang, professor de psicologia e coordenador do estudo.

Como os fatores estão conectados, estudos anteriores sobre o tema poderiam ser influenciados pelo efeito do sono no humor, por exemplo.

Novos tratamentos

Segundo os pesquisadores, as novas descobertas podem levar ao desenvolvimento de tratamentos para neutralizar os impactos negativos desses fatores sobre a memória de trabalho. O próximo passo é avaliar como essas intervenções podem ajudar idosos com perda de memória.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui