Busca na palavra ‘mulher’ no Google revela 3 casos recentes de brutalidade e violência

Dia Internacional da Mulher celebrado amanhã é de comemoração e luta.

0
Foto: Divulgação

Espírito Santo

O vendedor Jonas Amaral, suspeito de espancar e abandonar a namorada Jane Cherubim em uma estrada na região do Caparaó capixaba, mandou um áudio para a mãe dela após as agressões, através de um aplicativo de mensagens. O crime aconteceu na madrugada de segunda-feira (4).

O áudio foi passado para a reportagem através de um irmão de Jane, Salvador Cherobin. O material já foi entregue à Polícia Civil.

Foto: Divulgação

No áudio, aparentemente um pouco ofegante e nervoso, rápido com as palavras, Jonas diz que Jane já estava desmaiada.

“Eu tava lá no bar trabalhando, pedi para ela ir no bar perto de mim e ela não quis, pra fazer desfeita da minha pessoa, dona Maria. Ela tá aqui agora fingindo que é não sei o quê, tá desmaiada no asfalto aí. Eu cansei, dona Maria. Eu fiz de tudo pra vocês, cansei dessa vida hipócrita minha. Cansei mesmo, de coração”, disse no áudio.

Jonas ainda não foi localizado pela polícia. A Justiça já determinou a prisão dele e buscas estão sendo feitas no Espírito Santo e também em Minas Gerais, onde o casal morava. Ele é considerado foragido.

 

Goiânia

A auxiliar de serviços gerais de 42 anos que foi agredida e estuprada pelo ex-namorado conta que tem vivido outra rotina desde que sofreu o ataque. Ela contou que precisou se fingir de morta para que ele parasse de agredi-la, em Goiânia.

A vítima disse que ainda sente dores pelo corpo, está abalada e não consegue ficar na própria casa ou ir trabalhar.

Foto: Divulgação

A vítima disse que na noite de segunda-feira (4) ele tentou reatar o relacionamento e, diante da negativa dela, o homem a agrediu. Ela registrou o caso na Polícia Civil, que investiga o crime e procura o autor, que fugiu após os abusos.

Rio de Janeiro

“Pelo o amor de Deus, me tira daquele inferno, não aguento mais”, disse Maria Edjane de Lima a uma vizinha pelo WhatsApp horas antes de dar entrada no Hospital da Mulher, em Barra Mansa, no Sul do Rio de Janeiro, a 120 km da capital, na segunda-feira (4). A mulher, de 35 anos, natural de João Pessoa, na Paraíba, chegou a unidade médica, amparada pela vizinha, dizendo que tinha sido espancada, inclusive chutada na barriga, pelo companheiro e morreu após o parto de emergência.

No início de terça-feira (5), horas depois que a mulher havia morrido, o agressor chegou ao hospital exaltado exigindo a documentação dela. A polícia foi chamada e ele foi encaminhado à delegacia. Na ocasião, o homem foi ouvido e liberado, pois a delegacia aguardava o laudo do IML para confirmar se ele foi o culpado pela morte dela. No fim de terça, a delegacia conseguiu reunir as provas e ele teve a prisão preventiva decretada.

Foto: Divulgação

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui