Climatização, itinerário e preço são discutidos em reunião sobre transporte público de Lajeado

Encontro entre vereadores e Poder Executivo ocorreu na manhã desta quinta-feira (14). Pauta volta ao debate na próxima terça-feira (19), na Câmara de Vereadores.

0
Transporte público de Lajeado é atendido pelas empresas Erno Dörr e Scherer (Foto: Gabriela Hautrive)

Uma reunião sobre as alterações no sistema de transporte público de Lajeado contou com vereadores e representantes do Poder Executivo na manhã desta quinta-feira (14). O encontro iniciou por volta das 8h15, no plenário da Câmara de Vereadores. O projeto, encaminhado pelo Executivo aos vereadores, gerou dúvidas e exigiu esclarecimentos.

Um dos principais pontos citados pelos vereadores foi a questão da climatização dos ônibus, o que é entendido como uma das prioridades para melhoria do transporte e melhores condições aos usuários. Além disso, assuntos como preço da tarifa e horário dos itinerários também foram abordados.


ouça a reportagem


 

Conforme o procurador-geral do município, Natanael dos Santos, o projeto visa modernizar o sistema de transporte público. “Ele vai trabalhar ferramentas de controle da população e dos usuários do serviço. Eles vão poder participar ativamente desse transporte coletivo.”

Já a climatização nos ônibus é entendida pelos vereadores como uma das prioridades para garantir conforto e mais qualidade de vida aos passageiros. “A nossa ideia é climatizar, lógico, dentro de um estudo onde a climatização vai impactar diretamente na tarifa. Hoje, o município tem um estudo que indica a tarifa seria em torno de R$ 3,50 e com a climatização, daria algo em torno de R$ 0,15 a R$ 0,20 centavos de impacto. Ou seja, a tarifa partiria para R$ 3,70. São estudos preliminares, isso é importantíssimo ressaltar”, relata Santos. Se a tarifa fosse R$ 3,70, devido à climatização, o valor ainda seria mais baixo do que o atual, de R$ 3,90. A definição do valor e também da planilha que compõe a tarifa vai ser definida no processo licitatório.

Natália de Andrades (39), moradora do Bairro Moinhos, utiliza o transporte público quatro vezes por dia (Foto: Gabriela Hautrive)

Conforme Natália de Andrades (39), moradora do Bairro Moinhos, em Lajeado, que usa o transporte público quatro vezes por dia, o principal problema não é a climatização dos ônibus, e sim os horários do itinerário e a qualidade dos veículos. “Hoje, o serviço está muito precário, principalmente na questão de horários. Tem população isolada, sem o transporte público. Eu vou dar exemplo do Montanha, justamente a parte mais humilde do bairro, é a parte que está sem transporte público. Eles precisam atravessar a BR-386 para pegar um ônibus, local que acontece vários acidentes.”

Em relação ao problema citado por Natália, Natanael dos Santos diz que há uma preocupação por parte do município com os horários dos itinerários. Uma das soluções para resolver a situação seria o uso de aplicativos (App). “A ideia do Poder Público, a partir da modernização do sistema, é cada vez mais utilizar do controle social de quem realmente usa o serviço. Esses aplicativos vêm, ao nosso ver, a priorizar e a qualificar o transporte. A partir do momento que o município exigiria das empresas a utilização do GPS e que criaria um aplicativo, poderia se verificar, em tempo real, em qual local o ônibus se encontra”, explica o procurador-geral do município.

Reunião ocorreu na manhã desta quinta-feira na Câmara de Vereadores (Foto: Gabriela Hautrive)

Santos entende que esse App diminuiria o tempo de espera dos usuários nos terminais de ônibus. A implantação da ferramenta, segundo ele, não impactaria no valor da tarifa. A ferramenta seria criada pelo próprio município. O vereador Carlos Eduardo Ranzi (MDB), que foi quem mediou a reunião, entende que o projeto de lei sobre o transporte público de Lajeado terá impacto também daqui há 20 anos. “Vai ter um empresa que vai fazer o serviço, tanto de hoje como daqui há 20 anos. A previsão do serviço do ar-condicionado acaba sendo demonstrada, pelos vereadores, como algo que precisa constar no Projeto de Lei”, percebe o parlamentar.

Na sessão da próxima terça-feira (19), a empresa deve ir até a Casa Legislativa para debater o assunto e esclarecer as duvidas dos vereadores. A partir disso, o projeto volta a casa para ser apreciado e votado. GH

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui