Com Fabrício Schneider de presidente, nova direção da Alsepro toma posse em janeiro

Entre os projetos para o próximo biênio estão a reforma do Presídio Estadual de Lajeado e a construção de uma nova sede para a Polícia Civil.

0
Fabrício Schneider e Antônio Scussel falam sobre os desafios da entidade (Foto: Tiago Silva)

A nova diretoria da Associação Lajeadense Pró-Segurança Pública (Alsepro) para o biênio 2019-2020 toma posse em 1º de janeiro. O sócio-proprietário da Ereno Dörr, Fabrício Schneider, que representa o Sindiônibus, assume a presidência, função atualmente desempenhada pelo coronel da reserva da Brigada Militar (BM) Antônio Scussel. Representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Scussel assumirá a suplência da direção jurídica da entidade na próxima gestão.


ouça a entrevista


 

A direção Alsepro é composta por 20 integrantes. A vice-presidência ficará a cargo de Dani José Petry, e Nilvo Antônio Radaelli será o tesoureiro. A Alsepro foi criada em abril de 2007, para auxiliar em ações na área de segurança pública.

Formando em Administração pela Univates e com MBA em Administração (FGV) e Gestão de Transportes (UFRGS), Fabrício Schneider será o quarto presidente da associação. Schneider considera a presidência um “desafio importante” em sua carreira. Ele pretende dar seguimento às ações desenvolvidas pela atual gestão e de gestões passadas. “Conto com toda a diretoria, que está trabalhando há mais tempo, e isso facilita para quem está no topo”, comenta.

Entre os projetos que a Alsepro têm para o próximo biênio estão a articulação, com outras entidades regionais e órgãos de segurança, para a reforma do Presídio Estadual de Lajeado e a construção de uma nova sede para a Polícia Civil em Lajeado.

Saiba mais

A Alsepro tem a finalidade de colaborar com a Secretária de Segurança Pública do RS e com os demais órgãos do sistema de segurança do Estado, articulando-se em os diversos níveis do poder – municipal, estadual e federal – na busca de alternativas, recursos financeiros e soluções em benefício da ordem pública, da harmonia, da segurança e da paz social da comunidade de Lajeado.

“Nesses 11 anos, muitas coisas foram feitas pela Alsepro, representando um conjunto de entidades que se dedica a suprir as necessidades dos órgãos de segurança pública”, destaca o coronel Scussel, que cita o engajamento da entidade na obtenção de armamento para as forças de seguranças locais, em obras no Presídio Estadual de Lajeado e no centro integrado de monitoramento do Vale do Taquari.

Ele destaca que a entidade ampliou sua atuação para tratar a causa da criminalidade por meio de dois programas: o “Vida+Viva Sem Álcool (-) 18 anos” e o “Adolescente Legal com Música”. Conforme ele, a entidade se dedica atualmente a “discutir medidas que possam potencializar a ação do sistema e trabalhar as causas da criminalidade”. “Isso tem dado à Alsepro uma credibilidade muito grande”, afirma. TS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui