Em meio à crise de moradia, cidades dos EUA incentivam proprietários a abrigar sem-teto no quintal de casa

Pelo menos quatro projetos pilotos, em Portland, Seattle e no condado e na cidade de Los Angeles, estão recrutando pessoas interessadas em instalar uma 'microcasa' nos fundos de sua propriedade, onde indivíduos ou famílias sem-teto possam morar.

0
Sherry Mesa (esq.) e sua sobrinha, Sobeyda, estão entre as primeiras contempladas no projeto piloto em Portland — Foto: DIVULGAÇÃO/MULTNOMAH COUNTY/MOTOYA NAKAMURA

Diante de uma crise de moradia que já levou milhares de pessoas a viverem em carros, abrigos ou nas ruas e vários governos locais e estaduais a declararem estado de emergência, algumas cidades americanas estão testando uma abordagem inusitada para enfrentar o problema: oferecer incentivos para que proprietários abriguem sem-teto no quintal de casa.

Pelo menos quatro projetos pilotos, em Portland (no Estado de Oregon), Seattle (no Estado de Washington), no condado e na cidade de Los Angeles, estão recrutando pessoas interessadas em instalar uma “microcasa” nos fundos de sua propriedade, onde indivíduos ou famílias sem-teto possam morar.

As regras variam. Em Seattle, a iniciativa pioneira, as casas são construídas pelo Block Project (Projeto do Quarteirão, em tradução livre), administrado pela organização sem fins lucrativos Facing Homelessness (Encarando a Falta de Moradia), com doações da comunidade e ajuda de voluntários.

Os proprietários não recebem nada em troca, e os residentes não pagam aluguel nem têm prazo para deixar o local. Caso um participante desista do projeto, a casa é retirada de seu quintal e instalada em outra propriedade.

Em Portland, todo o custo e trabalho de construção ficam a cargo do governo do condado de Multnomah, que entrega as casas prontas aos participantes, com a condição de que, por um mínimo de cinco anos, abriguem famílias selecionadas pelo programa, chamado A Place for You (Um Lugar para Você, em tradução livre).

O aluguel pago pelas famílias durante esse período, com ajuda de vouchers do governo, não vai para o proprietário, e sim para cobrir serviços como luz, água e manutenção. Depois de cinco anos, o proprietário assume o controle da microcasa e pode alugar para quem quiser e receber renda da locação. Se quebrar o contrato antes desse prazo, tem de pagar pelo custo de construção.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui