Ex-presidente do INSS diz que Reforma da Previdência será feita à custa do trabalhador

Mauro Hauschild afirma que proposta precisa ter ajustes quanto à idade e tempo de contribuição, além de melhora na gestão do instituto e ações para geração de emprego.

0
Entrevista no Programa Realidade com Lauro Schmitt. (Fotos: Chanderley Soares)

O projeto de Reforma da Previdência não agradou a um ex-presidente nacional do Instituo Nacional de Seguridade Social (INSS). Mauro Hauschild concedeu entrevista ao Programa Realidade da Rádio do Vale nesta segunda-feira (25). Natural de Bom Retiro do Sul, ele esteve à frente do INSS de janeiro de 2011 a outubro de 2012.


Ouça a entrevista

 


 

Hauschild reconheceu a necessidade de mudanças no atual modelo, em função do aumento de expectativa de vida dos brasileiros e a redução na taxa de natalidade no País, o que levaria o instituto a ter menos contribuintes no futuro. No entanto, afirmou ter restrições à proposta apresentada pelo Governo Federal, pois ela seria feita apenas à custa do trabalhador.

O ex-presidente do INSS explicou que o primeiro ponto é a melhora na gestão do instituto. Atualmente, pagamentos indevidos, fraudes, corrupção e falta de tecnologia geram prejuízos bilionários. A segunda medida seria a geração de empregos no Brasil, pois cita que, atualmente, são 12 milhões de desempregos que deixam de contribuir para a Previdência Social.

Hauschild ainda entende que deveria haver uma regra de transição mais justa para as idades mínimas. Também questionou o aumento das alíquotas e a integralidade do benefício somente com 40 anos de contribuição. GL

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui