Familiares mortos de inadimplentes serão removidos de sepulturas em Lajeado

Restos mortais serão levados para o ossário. Cerca de 10% das famílias com entes nos cemitérios católicos não pagam a anuidade.

0
O presidente da Sociedade Cemitério União Comunitária, Vital Rezner. (Foto: Rodrigo Gallas)

Inadimplentes com a Sociedade Cemitério União Comunitária terão seus familiares mortos removidos dos cemitérios católicos de Lajeado, informa o presidente da entidade, Vital Rezner.

“A sociedade precisa se manter. Necessitamos construir e conservar as sepulturas.”

Cerca de 10% das famílias que possuem parentes nos cemitérios católicos do Florestal, Jardim do Cedro e Hidráulica não pagam anuidade. O custo por sepultura é de R$ 70 por ano. “Nós faremos o chamamento para a família e ela terá 30 dias para se manifestar. A divulgação será feita pelo jornal O Informativo do Vale por meio de um comunicado”, explica.


Ouça a entrevista

 


Após o prazo, será enviada a Carta R. A partir disto a família tem mais 30 dias para dar alguma resposta. Após isso, será realizado edital para remoção, que deve ocorre entre janeiro e fevereiro. Os restos mortais serão identificados e encaminhados ao ossário.

Se a família quiser reaver o corpo, ele estará a disposição. Caso isto não ocorra, “o corpo fica no ossário para sempre”, diz Rezner. O ossário localiza-se nas proximidades das gavetas do Florestal e, conta, atualmente, com cerca de 200 corpos.

Para saber qual o valor devido deve-se entrar em contato com a Sociedade pelo telefone (51) 3011-3025. “É só ligar para o cemitério que a secretária dá todas as informações”, salienta.

Veja na íntegra o programa Dinâmica

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui