Inovador no Vale, Plano de Educação Ambiental Intermunicipal é lançado nesta segunda-feira

Oito municípios da região, emancipados de Lajeado e pertencentes ao Cipae G8, firmaram parceria com a Univates para atuar em prol da educação ambiental.

0
Professora da Univates, Jane Mazzarino, e, ao fundo, o presidente do G8, Paulo Joel Ferreira (Fotos: Natalia Ribeiro)

Nesta segunda-feira (22) foi dada a largada a um projeto audacioso e inovador, que pretende, por meio do engajamento da comunidade, atuar em prol da educação ambiental no Vale do Taquari. Participam da iniciativa oito municípios emancipados de Lajeado e que integram o Consórcio Público Intermunicipal para Assuntos Estratégicos do G8 – Cipae G8. A metodologia será aplicada pela Univates, que é parceira da ação e desenvolvedora do I Plano de Educação Ambiental Intermunicipal.

Atuante em assuntos que envolvem o meio ambiente e o bem-estar dos munícipes, o Cipae G8 já realizou a entrega de contêineres para a separação correta do lixo e, atualmente, se empenha na construção da Central de Triagem de Resíduos Sólidos, em Progresso, com previsão de conclusão para 2021. Assim, mais uma iniciativa se une aos esforços que têm sido feitos pelos municípios de Boqueirão do Leão, Canudos do Vale, Cruzeiro do Sul, Forquetinha, Marques de Souza, Progresso, Santa Clara do Sul e Sério.

O lançamento do plano ocorreu no Salão de Esportes do Parque de Exposições Christoph Bauer, em Forquetinha. Reuniu prefeitos, vices, secretários, educadores e a comunidade. No total, serão 460 horas de projeto, desde a elaboração até a execução, de acordo com a professora da equipe técnica da Univates, Jane Mazzarino. “O nosso objetivo é a construção de conteúdos em cursos de cinco módulos para os multiplicadores, oficinas para os multiplicadores nos municípios, reunião de acompanhamento e construção de conteúdos de folhetos, placas e releases”, diz ela.

A inspiração para o projeto está em política pública do governo federal aplicada, com sucesso, na Bacia Hidrográfica Paraná 3, onde está localizada a Usina Hidrelétrica de Itaipu. Para tanto, a Univates elaborou uma proposta que será realizada junto de facilitadores, “pessoas estratégicas, que tenham uma boa comunicação e que já estejam engajadas às questões ambientais e que possam multiplicar”, explica Jane.

O grupo deverá reunir pessoas que atuam, por exemplo, como agentes de saúde, professores, integrantes de clubes de mães, catadores, recicladores e trabalhadores rurais, entre outros. A ideia é que elas desenvolvam nos demais, a partir do que será ensinado pela universidade, a conscientização sobre a importância da separação e classificação do lixo. A primeira reunião com os representantes dos departamentos de meio ambiente das prefeituras será na próxima sexta-feira (26), na Univates.

O investimento no programa é de R$ 78,5 mil, a ser pago pelo consórcio. Reconhecendo a importância da iniciativa, o presidente do Cipae-G8 e prefeito de Boqueirão do Leão, Paulo Joel Ferreira, convoca a participação de todos. “Temos um grupo com os prefeitos, mas cada município, junto da universidade, vai fazer a sua parte. Não é o presidente ou a diretoria, cada um tem de fazer a sua parte”, coloca ele.

A assinatura do contrato entre o consórcio e a Univates ocorreu no início de abril. As atividades têm início oficial previsto para a sexta-feira, com a reunião. O cronograma estabelece que as ações sejam desenvolvidas até o dia 03 de dezembro, quando será feita avaliação do que foi realizado.

Promotor de Justiça Especializada da Comarca de Lajeado, Sérgio da Fonseca Diefenbach, falou aos presentes no ato

O Ministério Público acompanhará as atividades. Presente no lançamento, o promotor de Justiça Especializada da Comarca de Lajeado, Sérgio da Fonseca Diefenbach, pediu engajamento. “Não deem conselhos a ninguém, não orientem. Deem, somente, exemplos. A gente ensina pelo exemplo”.

Metodologia

Primeiro serão chamados os coordenadores municipais de meio ambiente das oito localidades envolvidas. Eles serão responsáveis por indicar quem fará parte do projeto como multiplicador, ou seja, quem atuará junto aos munícipes. Cerca de 20 pessoas deverão integrar o grupo de facilitadores, que ainda não foi formado.

Cada multiplicador passará por cinco módulos de curso, a ser ministrado pelos professores da Univates. Serão aplicadas metodologias participativas, com dinâmicas de grupo, para que a ideia seja ensinada aos envolvidos. Cada um deles terá de construir um plano de intervenção voltado para a comunidade em que vive.

A cada semestre, quatro municípios serão atendidos. As visitas dos orientadores ocorrerão duas vezes por semana. A proposta é que os moradores possam ser atingidos pelo conteúdo de preservação, recolhimento e separação correta do lixo, por meio de materiais informativos e empoderamento comunitário. Ao fim do ano, as atividades serão avaliadas pelos envolvidos, bem como a continuidade das ações. NR

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui