Lajeadense detalha sua atuação no Médicos Sem Fronteira em epidemia de ebola no Congo

Verônica Erthal atuou por nove meses em uma missão no país africano em 2018.

0

Formada em Letras, com mestrado e especialização na área de Gestão, a lajeadense Verônica Erthal detalhou, no programa Papos de Mulher deste sábado (2), a sua experiência no Médicos Sem Fronteiras (MSF), um programa de ajuda médico-humanitária que leva cuidados em saúde à população com atuação em mais de 70 países.

Pelo programa, Verônica cumpriu missão no Congo, país em que atuou por nove meses em um hospital destinado ao tratamento de pacientes em uma epidemia de ebola. Ela trabalhou na estruturação e gestão de um centro de tratamento da doença. “É um hospital com tendas e barracas. É temporário, é desmontado e todos os materiais precisam ser queimados para evitar os resquícios da doença”, explica.

“Essa epidemia ainda está ocorrendo. Ela começou em 2018, na metade do ano no leste do país”, conta. Já são 730 casos confirmados e mais de 400 mortos. “Ela é a segunda maior epidemia do mundo – a primeira foi em 2014, afetou mais de seis países africanos, foram 11 mil mortos. A doença é muito cruel. O ciclo da doença é de 15 dias. Em 15 dias, ou você vive ou você morre”, relata.

“O Congo é um dos países onde o Médico Sem Fronteiras atua há muitos anos, desde a década de 1970. É um país que tem um índice de desenvolvimento humano (IDH) muito baixo”, relata. É muito pobre, eles têm necessidade em muitas áreas”, complementa.

VÍDEO: Assista ao programa completo

Verônica destaca que não é preciso ser formado em Medicina para atuar no programa. O MSF necessita de profissionais de diversas áreas, desde logística a gestão de pessoas, para trabalhos em missões ambientes de epidemias, conflitos armados, desastres naturais e projetos regulares de longa duração em saúde.

A lajeadense conheceu o programa por indicação de um amigo. “Quando eu me dei conta que eu gostava de cuidar de pessoas e tinha a necessidade de impactar mais as pessoas, eu comecei a procurar programas humanitários”, diz ela. Foi quando integrou-se ao MSF, em dezembro de 2017.

Para entrar no MSF, Verônica Erthal explica que é preciso passar por um processo de seleção rigoroso. “Tem que ter experiência, conhecimento de línguas é muito importante. Depois desses fatores, tem a questão psicológica. São vários fatores que são avaliados”, ressalta.

“Toda vez que existe uma missão, há uma negociação entre o interesse do profissional em participar e a necessidade da organização de profissionais. É sempre um acordo”, comenta.


Facebook e Twitter fecham milhares de contas por ‘campanha de manipulação’ nas redes sociais

com Natalia Ribeiro

 

O Facebook e o Twitter anunciaram na quinta-feira (31) que encerraram milhares de contas que participavam de campanhas de manipulação nas redes sociais. Na primeira, o alvo foram páginas que tinham conteúdo favorável ao Irã. No Twitter, foram removidos perfis que faziam posts ligados a Rússia e Venezuela.

Nathaniel Gleicher, diretor de política de segurança cibernética do Facebook, disse que a rede social conseguiu agir com ajuda de informações partilhadas pelo Twitter. Para ele, essas ações são um exemplo animador do tipo de colaboração que se está tentando construir nessa indústria.

Em agosto passado, as duas empresas já tinham deletado mais de 900 contas ligadas ao Irã que geravam desinformação nas redes. Agora, o Facebook removeu outras 783 páginas, grupos e contas que também faziam parte de uma campanha para promover os interesses iranianos, criando identidades falsas como se fossem de moradores desses países, afirmou Gleicher.

Essas atividades foram detectadas em 26 países, muitos com população muçulmana significativa, incluindo Afeganistão, Egito, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Espanha e Estados Unidos. Pelo menos uma das páginas tinha quase 2 milhões de seguidores; 1.600 participavam de um dos grupos e mais de 254.000 seguiam pelo menos uma das contas do Instagram incriminadas.

Os operadores “tipicamente representavam locais, geralmente usando contas falsas, e postavam notícias sobre eventos atuais”, incluindo “comentários que reaproveitavam reportagens da mídia estatal iraniana sobre temas como as relações Israel-Palestina e os conflitos na Síria e no Iêmen”, disse Gleicher. Em novembro passado, a empresa já tinha anunciado que deletou mais de 10 mil contas por desencorajar votos nas eleições dos EUA, onde a participação popular não é obrigatória.

Fonte: G1


Papos com Quem Sabe 

O quadro Papos com Quem Sabe deste sábado é com a diretora-técnica da empresa Lógica Assessoria Ambiental Inteligente, Tanara Schmidt.

Ela fala sobre cidades inteligentes, com uso da tecnologia para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Ouça o quado!

 

 


Na Cozinha: Molho Barbecue Caseiro

com Daniel Bortolini

 

Ingredientes:

1 col. (sopa) de azeite
1 col. (sopa) de cebola ralada
1/2 col. (sopa) de alho triturado
1 col. (sopa) de açúcar mascavo
1 col. (sopa) de molho inglês
1 col. (sopa) de vinagre de álcool
3 col. (sopa) de ketchup
1/2 col. (sopa) de mostarda
4 col. (sopa) de água

Preparo

Refogue a cebola e o alho no azeite. Coloque o restante dos ingredientes para ferver. Assim que ferver, deixe 30 segundos no fogo e está pronto. Se ficar grosso demais é só adicionar um pouquinho água para ficar na consistência desejada. Se quiser acrescentar um pouco de fumaça líquida, para dar um toque defumado, gengibre, ou pimenta, fica a seu critério e gosto.

Como sugestão, usar o molho para fazer a clássica costelinha de porco ao molho barbecue.

Imagem e base da receita: panelaterapia.com.br


Sunset Chiringuitas

No dia 9, no Espaço Lumière, ocorre o Sunset Chiringuitas. O evento ocorre das 17h às 23h, na beira-mar entre Atlântida e Xangri-lá, no litoral gaúcho.

Quem detalha o evento é Josita Pauli Müller, da ACJ Consultoria em Comunicação e Inovação.

Ouça!

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui