Na tribuna, moradora de Linha Figueira pede apoio para municipalização de trecho

Comunidade fará reunião com o prefeito de Estrela, Carlos Rafael Mallmann (MDB), na próxima quinta (14). Abaixo-assinado será levado ao emedebista.

0
Com público significativo, integrante de comissão popular defendeu melhoras no trecho (Fotos: Natalia Ribeiro)

A precariedade da ERS-129 pautou a sessão desta segunda-feira (11) da Câmara de Vereadores de Estrela. Sem projetos na ordem do dia, os legisladores acompanharam a manifestação da representante das comunidades de Arroio do Ouro e Linha Figueira, Regina Mallmann, locais por onde a estrada passa. Regina, que trabalha com artefatos de madeira, diz que a via estadual está intransitável. “Chegamos ao nosso limite”. Ela estima que há 20 anos não ocorra manutenção no trecho. Por isso, em nome dos moradores, pediu que a casa auxilie no processo de municipalização.


OUÇA A SESSÃO COMPLETA


O pedido é para que a manutenção de cerca de dez quilômetros, até a divisa de Estrela com Bom Retiro do Sul, passe da responsabilidade do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) para a Prefeitura de Estrela. Regina lembra que a estrada é importante para o escoamento da produção agrícola, setor que, em 2017, representou 29% da economia do município. “Estamos abandonados numa via com grande produtividade para o município”, comenta.

Na tribuna, a empreendedora apresentou dados coletados junto aos moradores, cerca de cem, a maioria deles com trabalhos na agricutura. Conforme os levantamentos que têm como base resultados de 2018, as duas comunidades produziram cerca de 234 mil litros de leite ao mês e 16,5 mil sacos de milho e mais de 20,7 mil sacos de soja durante todo o ano, entre outros resultados. Segundo Regina, os produtores têm custos elevados com a mecânica dos carros que passam pela estrada.

“Eu não vim aqui chorar, mas se vocês tivessem noção dos custos que a gente tem com a manutenção de veículos mensalmente. Nossa, é enorme”, relata a mulher. Na manhã da próxima quinta-feira (14), a comunidade terá audiência com o prefeito Carlos Rafael Mallmann (MDB), quando pretende, conforme ela, pedir ao emedebista que interfira na questão. A ideia é que o Daer autorize o município a cuidar da estrada até que um projeto de municipalização seja votado na Assembleia Legislativa.

A casa

Os vereadores de Estrela demonstraram apoio ao pedido e se comprometeram em auxiliar os moradores. Principalmente Márcio Mallmann (PP), que reside no interior de Estrela e está há meses envolvido com a questão. Foi ele quem pediu ao Daer para que fizesse melhorias no local, conseguindo retorno positivo, com previsão de início das obras para novembro de 2018 – o que, segundo ele, não passou de promessa. “Só patrolaram um pouquinho. E quando uma pessoa mente para a gente, não adianta insistir. Precisamos agir”, comenta o legislador.

Norberto Fell (PPS) reconhece a demanda e diz que, com frequência, ela é apresentada no Legislativo. “Desde que a gente está nessa casa não há semana, não houve mês, em que alguma referência não foi feita com relação àquela estrada”. Líder de governo na câmara, Ernani de Castro (MDB) destacou que o município não pode tomar frente de todas as responsabilidades abandonadas pelo Estado. Lembrou, ainda, que Estrela tem cerca de 500 quilômetros de estradas de chão no interior.

Mesmo assim, Castro informou que trabalha para que ocorra uma reunião em Porto Alegre a fim de tratar o assunto com o governo do Estado. “Estamos tentando agendar uma reunião com o secretário dos Transportes, então assim que for definida essa data, que a gente vá até POA e coloque uma pressão nos órgãos estaduais”, fala.

Um abaixo-assinado com a adesão de aproximadamente 300 pessoas, entre usuários da estrada e moradores, será entregue ao prefeito Mallmann na próxima quinta-feira. Além da apresentar a demanda, Regina aproveitou o espaço na tribuna para convidar os vereadores a participarem do encontro, que ocorrerá na sede do Poder Executivo.

Gastos com Natal

A casa aprovou diversos pedidos de informação na sessão desta segunda, entre eles um de autoria de Norberto Fell, que solicita explicações a respeito dos investimentos feitos pela Prefeitura de Estrela na programação natalina de 2018. “Não estou dizendo que foi mal destinado. Eu quero dizer que foi muito, foi excesso de gastos públicos”, alega ele.

Fell encaminhou diversos pedidos de informação, um deles a respeito da programação de Natal realizada em Estrela

O requerimento diz respeito aos valores empregados pela administração de Estrela em iluminação, locação, adesivagem, shows artísticos, empresas contratadas e publicidade, como divulgação em jornal, rádio e televisão. Não há prazo regimental para que a resposta seja remetida ao Poder Legislativo.

Os vereadores de Estrela voltam a se reunir na próxima segunda-feira (18), a partir das 18h30, no plenário Bento Rodrigues da Rosa, no Centro. A sessão ordinária deverá ser a primeira do ano com projetos a serem apreciados. NR

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui