Papeleiros farão mudança para o Santo Antônio na próxima semana

Famílias que residem na ERS-130, em Lajeado, irão em breve para as casas construídas com o apoio da prefeitura. Data prevista é quarta-feira (20).

0
Seis casas, com 47 metros quadrados cada, aguardarão os papeleiros na próxima semana (Fotos: Natalia Ribeiro)

Está prevista para ocorrer na próxima quarta-feira (13) a mudança dos papeleiros da ERS-130 para o Bairro Santo Antônio, em Lajeado. Inicialmente, a administração municipal trabalhava com a perspectiva de entregar as casas amanhã, sexta-feira (08), porém resta a colocação das janelas e do forro, além das instalações de água e energia elétrica. A data é estimada pelo prefeito Marcelo Caumo (PP). “Durante a semana que vem, talvez na quarta-feira, a gente possa fazer a transferência das famílias”.


OUÇA A REPORTAGEM


Um termo firmado entre a prefeitura, os papeleiros e o Ministério Público projetava a construção de até dez casas no terreno, que fica na divisa dos bairros Jardim do Cedro e Santo Antônio, com vista para o residencial Novo Tempo II. Por enquanto, foram construídas seis casas, de 47 metros quadrados. Cada uma delas tem dois dormitórios, banheiro e cômodo integrando sala de estar, cozinha e jantar.

Oito empresas ligadas ao Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) firmaram parceria com a administração municipal para construir as residências, sem custos para os futuros moradores. De um local com instalações precárias, sem água potável e energia elétrica, às margens de uma rodovia, eles irão para um espaço que mudará suas perspectivas de vida. O secretário de Trabalho, Habitação e Assistência Social de Lajeado, Lorival Silveira, fala o que o projeto representa para a prefeitura.

A gente se sente satisfeito e muito feliz porque iremos dar qualidade de vida para essas pessoas. Se olharmos para o estado em que vivem hoje e para onde irão, isso nos deixa muito felizes. São pessoas que precisam de atenção e o poder público tem de fazer isso”. Duas máquinas da prefeitura, caminhão baú e carreta caçamba, farão a mudança. Servidores públicos vão ajudar na transferência, de acordo com o secretário de Obras e Serviços Públicos de Lajeado, Fabiano Bergmann, o “Medonho”.

Servidores da Secretaria de Obras de Lajeado trabalham nas instalações elétricas para as casas dos papeleiros

A pasta de Obras, inclusive, tem papel importante na construção. É dela que partem as janelas e as portas que irão servir para fechar as novas moradias, que são mistas, ou seja, construídas com tijolos e madeiras. Bergmann acrescenta que “conseguimos abrir a estrada, colocar puxar postes de luz, iluminação pública para eles… Falava-se em casinhas, não em casas. E hoje tu vê que são casas, daria para morar, eu ficaria feliz se quando eu comecei minha vida teria uma casa assim para morar”.

Saiba mais

O documento assinado para retirar as famílias dos papeleiros da ERS-130 previa para dezembro de 2018 o início e a entrega das casas, o que não ocorreu. Moradores do Jardim do Cedro questionaram a prefeitura sobre a proposta, que se trata de um terreno da administração, principalmente porque o projeto previa a construção de um pavilhão para que os resíduos retirados das vias do município fossem guardados.

Foram muitas as reuniões, inclusive precedidas de manifestação da comunidade local, até que se encontrasse um caminho a seguir, como diz o prefeito Caumo. “Mas o que a gente fica muito satisfeito é que na própria última reunião que aconteceu houve um consenso de todos de que vamos buscar a melhor alternativa pra todo mundo”.

Integrante da comissão dos moradores do Cedro, Fabiano Trindade avalia a mudança dos papeleiros. “Olhando hoje, o compromisso foi bem colocado e a prefeitura está de parabéns, porque realmente as pessoas vão ter uma vida bem digna com essas casas que estão sendo terminadas. Esperamos que eles venham logo”. Ainda segundo ele, “a população hoje está de acordo com tudo o que está acontecendo”.

Prefeito Caumo, secretários Silveira e Bergmann e o morador Trindade em visita à obra, na tarde desta quinta-feira (07)

Representante da comunidade de papeleiros, Adriano Leandro Rodrigues informou à reportagem que esteve no terreno recentemente. Diz que ficou satisfeito com o andamento da obra e com as casas que foram construídas. Conforme ele, os recicladores têm a expectativa de que a mudança ocorra em breve. Tão logo a saída seja feita, a prefeitura fará a abertura de ruas no terreno ocupado por eles. As vias servirão para escoar o movimento e atender a pedidos de empresas nas imediações.

Pendente

Por mais que o assunto casas esteja perto de ser resolvido, a questão ainda demandará discussões entre as partes envolvidas. Isso porque não há definição, até o momento, acerca do pavilhão, que é considerado fundamental pelos papeleiros para que esses possam armazenar os resíduos. Eles não fazem a manipulação do lixo, apenas recolhem e vendem para uma empresa lajeadense.

A previsão era de que o pavilhão fosse construído entre as casas – o que os moradores das imediações não querem. A prefeitura parece ter desistido da ideia e tem buscado outras alternativas. Uma delas, numa via próxima ao Estádio Alviazul. Seria preciso abrir uma rua para que eles despejassem os resíduos e depois acessassem as casas.

O tema voltará a ser debatido assim que as residências forem entregues, como afirma Caumo. “Vamos vencer esta etapa da mudança e daí, também com um voto de confiança dessas famílias, porque eles também são partes interessadas uma vez alojados nessas casas, numa condição digna de sobrevivência, a gente inicia essa discussão que é sobre a localização do pavilhão”. Até que o impasse seja resolvido, não se sabe para onde os materiais, que são fonte de renda, serão levados. NR

Relembre:

Recomeça construção das casas para os papeleiros, em Lajeado

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui