Polêmica sobre tomar café na gravidez

O post de uma gestante viralizou nas redes sociais. Ela conta que uma estranha atirou seu café na lixeira, alegando que "não é permitido" beber durante a gestação.

0
Foto: Reprodução/Ilustração

A futura mãe com 36 semanas de gestação e, segundo ela, se sentindo muito “cansada e mal-humorada”, conta que o único desejo era toma uma xícara de café, após noites de privação de sono. Em um post no Reddit – um fórum online – ela explica que foi até um bar e pediu um café gelado – “nada louco”. Mas ao retirar o pedido, uma estranha teria se aproximado e dito: “Você não pode tomar isso, você está grávida”.

Além dos palpites alheios, existem muitos mitos e dúvidas que envolvem a alimentação na gravidez, como a questão do peixe fresco, canela ou o próprio café. Um estudo recente da Irlanda revelou que gestantes que bebem chá ou café estão mais propensas a ter bebês pequenos. Isso porque os pesquisadores acreditam que a caféina restringe o fluxo sanguíneo para a placenta, afetando o crescimento – incluindo a circunferência da cabeça – e reduzindo o tempo gestacional.

No entanto, a recomendação geral entre os obstetras é de que as gestantes podem, sim, tomar café. No entanto, o segredo está na quantidade. Eles seguem a orientação do Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas, que não recomenda mais do que 200 mg ao dia – o equivalente a três cafés expressos.

“Em excesso, a caféina está relacionada a maior risco de aborto, parto prematuro e baixo peso ao nascer”, alerta o ginecologista e obstetra Wagner Jou Hisaba, especialista em medicina fetal da Unifesp. Mas ele alerta ainda que a quantidade de cafeína presente em chás e cafés varia bastante, dependendo do modo de preparo (mais forte ou mais fraco), da marca e, claro, do tamanho da xícara.

Fonte: Crescer/Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui