Prefeitura de Fazenda Vilanova negocia com proprietários para o pagamento de precatórios

Em 2018, município fechou com superavit de R$ 1,4 milhão. "Isso significa 8% do nosso orçamento", destaca o prefeito José Luiz Cenci.

0
Prefeito José Luiz Cenci, de Fazenda Vilanova (Foto: Rodrigo Gallas)

Com o novo governo federal e a economia do país dando sinais de recuperação, o prefeito de Fazenda Vilanova, José Luiz Cenci (PP), mostra otimismo neste início de 2019. Mas aponta que os desafios são grandes para o município de 23 anos, 4,4 mil habitantes e 84,50 km² de extensão territorial. No ano passado, Fazenda Vilanova fechou com superavit de R$ 1.420.000,00. “Isso significa 8% do nosso orçamento”, diz Cenci.


ouça a entrevista

 


 

Conforme o chefe do Executivo, a administração municipal buscou a economia pensando no pagamento de precatórios, que somam R$ 2 milhões — entre eles, um de R$ 1 milhão e outro de R$ 300 mil. Porém, tomou cuidado para não inviabilizar serviços básicos, garante.

Cenci lembra que esses precatórios são referentes a quando Fazenda Vilanova ainda era 2º Distrito de Bom Retiro do Sul, de um período em que foram abertas ruas na localidade. Os proprietários das áreas sentiram-se lesados e requereram na Justiça as indenizações. “Os proprietários entraram na Justiça em 2002 e, em 2006, vem a sentença. Decisão judicial a gente não discute, cumpre”, coloca o prefeito. Os precatórios estão previstos para serem pagos este ano. “Estamos acertando, estamos num momento de negociações”, relata.

O prefeito diz que Fazenda Vilanova busca uma reestruturação financeira para viabilizar investimentos privados. Em 2018, Cenci destaca que dedicou-se às conversas para a atração de empresas. Mesmo com a austeridade fiscal — segundo o prefeito, a administração funciona com três secretarias ativas —, o município não cortou investimentos em áreas prioritárias como saúde e educação.

Em saúde, em que o mínimo exigido por lei é 15% do orçamento, foram destinados 22%; em educação, área onde a previsão legal é 25%, o município alocou 31% dos recursos. “É o que eu preciso gastar para que a saúde tenha um bom atendimento e dar realmente uma condição de educação que eu acho fundamental”, destaca Cenci.

Na próxima semana, o chefe do Executivo local deve viajar a Brasília para buscar recursos para investimentos nessas matérias. TS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui