A procuradoria sueca afirmou nesta sexta-feira (19) que foi suspensa a investigação preliminar sobre uma acusação de estupro contra o fundador do WikiLeaks. No entanto, Julian Assange, que está refugiado na Embaixada do Equador em Londres desde 2012, ainda não pode deixar o imóvel, porque a polícia britânica tem um mandado de prisão vigente contra ele.

A promotora-chefe da Suécia, Marianne Ny, disse em uma coletiva de imprensa que a sua decisão de suspender a investigação preliminar havia sido feita porque “todas as possibilidades de avançar a investigação estão esgotadas”. No entanto, ela ressaltou que, se Assange voltar à Suécia antes agosto de 2020 (prazo para a prescrição do crime), a investigação pode ser reaberta, segundo a CNN.

O advogado de Assange, Per Samuelson, disse que o arquivamento da investigação é uma “vitória total”, de acordo com a Reuters. O australiano afirmou que não perdoará nem esquecerá aqueles que estão por trás de sua acusação por estubpro. “Detido por sete anos sem condenação enquanto meus filhos cresciam e meu nome era caluniado”, postou no Twitter. “Não perdoo nem esqueço.”

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui