Cravo-da-Índia: conservante e repelente

Confira o comentário do engenheiro agrônomo Nilo Cortez.


1
Foto: Divulgação / Ilustrativa

Quem não se lembra das aulas de história dos grandes navegadores que iam buscar especiarias no continente asiático produtos altamente valorizados para o Ocidente. O cravo-da-índia estava entre eles e valia o quilo no século XVI a sete gramas de ouro. Hoje cerca de R$2.387,00. Hoje é possível comprar o kg ao redor de R$100,00.

Originária das Ilhas Molucas na Indonésia e hoje muito cultivada nas Ilhas de Madagascar e de Granada. O maior consumidor é a Indonésia principalmente na fabricação de cigarros aromatizados com cravo.

Foto: Divulgação / Ilustrativa

Usado como para dar um gostinho e aromatizar doces em calda (abóbora, mamão verde, doce de laranja e outros), também em alimentos agridoce, decoração de pratos, perfumaria, fabricação de óleo (15%)aromático, sabonetes e outros. Mas acima de tudo é um ótimo conservante natural. Em estudos feitos na Espanha, em comparação com o orégano, tomilho, alecrim e sálvia, foi o que se destacou. Apresentou maior capacidade de conservação e não prejudica a qualidade dos alimentos.

No uso medicinal se destaca como cicatrizante, anti-inflamatório, digestivo, rico em antioxidante, óleos essenciais, combate a bactérias bucais e melhora o hálito.

Foto: Divulgação / Ilustrativa

O cravo da índia (Syzygium aromaticum) é das famílias Mirtáceas a mesma das goiabas, araçá. São árvores de porte até 15 m de altura e podem viver 100 anos.

No Brasil o maior produtor é no sul da Bahia nos municípios de Valença, Ituberá, Camamu, Nilo Peçanha e Taperoá. Prefere solo argiloso, bem drenado, fértil e não tolera frio e geada. Quer altitude de até 200 metros. Aqui entre nós, quem sabe em lugar protegido do frio, beira de mato com sol da manhã poderia produzir. Não tolera geadas prefere temperaturas médias de 25°C.

Foto: Divulgação / Ilustrativa

Prefere solos argilosos, férteis e drenados. Para seu plantio é usado sementes (cravão) que depois de colhidos é deixada de molho em água 24 horas para retirar a polpa. O que compramos é apenas o botão floral e não nasce se plantado. Depois de cerca de 15 dias já aparecem as mudinhas. Todo este processo deve ser protegido com sombrite 50%. Quando alcançarem 30 centímetros se transplanta. É uma fase demorada podendo chegar a 10 meses. Pela internet é possível comprar mudas por cerca de R$150,00 e 30 sementes por R$10,00.

A colheita inicia aos 4 anos e se estende por cem anos se bem cuidada. Os pequenos produtores colhem manualmente cerca de dez plantas por dia. Já área maiores cobrem as plantas com uma espécie de sombrite e usam um gás (etileno) para uniformizar a colheita e pode chegar a 70 plantas por dia. Na colheita manual chegam a 40 kg dia, que resultam em 6,5 kg de cravo seco. Isso é feito por três dias ao sol.

DICAS:

REPELENTES DE INSETO. Coloque 5 gramas de cravo da índia em 250 ml de álcool de cereais preferentemente, pode ser álcool comum 70% em um frasco escuro. Deixar 4 dias mexendo de vez em quando. Coe e acrescente 50 ml de óleo corporal, este de bebes. Ou se quiser óleo de coco, podendo usar de amêndoa. Coloque num frasco de spray agitando antes de usar.

FORMIGA AÇUCAREIRO: Coloque alguns cravos no açúcar elas não irão mais.

TRAÇA: colocar saquinhos de pano com alguns cravos no armário.

1 comentário

  1. O famoso cheirinho de (consultório) dentista; é o EUGENOL, o princpio ativo do aroma do cravo da índia. Tinha como nome científico Eugenia odorata.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui