Lajeado descarta aquisição de “castramóvel” e irá ampliar clínica veterinária para serviços de castrações

Município recebeu emenda parlamentar do deputado federal Alceu Moreira (MDB) no valor de R$ 180 mil, e irá investir mais R$ 140 mil com recursos próprios


0
Nova clínica possibilitará espaços para castração, internação, cirurgias, recuperação, entre outros (Foto: Ilustratova / Pet Blog / Divulgação)

Lajeado recebeu nesta terça-feira (1º) uma emenda parlamentar do deputado federal Alceu Moreira (MDB) no valor de R$ 180 mil, que inicialmente seria usada para aquisição de um castramóvel. A vereadora Ana Rita Azambuja, a Ana da Apama (MDB), que tem como principal bandeira a causa animal, recebeu o ofício da emenda do assessor do deputado Moreira.

Conforme o secretário do Meio Ambiente de Lajeado, Luis Benoit, pelo fato da emenda não citar especificamente que o recurso seja utilizado em um castramóvel, e sim para o controle da população de animais, o município resolveu investir na ampliação de uma clínica veterinária, que prestará o serviço com mais qualidade. “Fizemos reunião com a vereadora Ana e agradecemos o esforço dela, mas se tem uma ideia diferente quanto a castração, por conta de questões técnicas de pós e pré-operatório que inviabilizaria uma série de questões”.


ouça a reportagem

 


Como solução para o problema de reprodução sem controle dos animais, Lajeado tem um projeto praticamente pronto que determina a ampliação da clínica veterinária já existente na cidade junto ao Canil Municipal. “Temos uma quantidade de castrações que é terceirizada, com custo elevado, então a ideia é investir nesta clínica, fazer salas cirúrgicas, com consultórios e atender melhor a população lajeadense”, explica.

Secretário do Meio Ambiente de Lajeado, Luis Benoit, diz que projeto do novo espaço está praticamente pronto (Foto: Gabriela Hautrive)

Além disso, a ideia é levar o empreendimento para outro ponto da cidade, mas ainda sem localização definida. “A gente tem a questão das baias e vamos manter lá com os cães e espaço do tratamento e fazer uma clínica nova em outro espaço com uma estrutura bem mais completa do que a que temos atualmente.”

Podem ter acesso aos serviços de castrações, pessoas que possuem cadastro único junto à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Lajeado. “Nós fornecemos atendimento e castração, até cirurgia em alguns casos, para pessoas de baixa renda que residem em Lajeado”, explica. O próximo passo para reforma do espaço é encaminhar o processo licitatório e ainda neste ano concluir a obra.

“O investimento vai girar em torno de R$ 320 mil apenas com estrutura, sem contar equipamentos, que isso ainda não sabemos valores”, diz o secretário. Dos R$ 320 mil, R$ 180 mil serão da emenda parlamentar e o restante de recursos próprios do município. A nova clínica veterinária contará com salas para atendimento, pátio, espaço de internação, banheiros, recepção, setor administrativo, laboratório, depósito, salas de cirurgia e recuperação, além de outros espaços, como lavanderia e ambiente para descarte de resíduos morgue.

Sobre a informação para repasse do valor, em suas redes sociais a vereadora Ana Azambuja comemorou a destinação da verba. “Será um importante avanço na causa animal, onde poderemos fazer mutirões de castração nos bairros, promovendo o controle populacional e consequentemente redução nos casos de abandono e maus-tratos”, destacou.

Projeto poderá ter algumas mudanças em relação ao que já foi estabelecido (Foto: Gabriela Hautrive)

Como funcionaria o castramóvel

Ainda conforme a vereadora Ana da Apama, o castramóvel faria gratuitamente a castração de animais pertencentes à população de baixa renda e animais em situação de rua. Mesmo com a ideia de migrar para uma clínica, o sistema será o mesmo, segundo Benoit, e a castração realizada sem custos para promover o bem-estar animal e a saúde pública na cidade.

O castramóvel trata-se de um tipo de veículo que percorre bairros onde há registros de animais em situações de abandono e maus-tratos, além de pets com tutores de baixa renda. Normalmente são equipados com balança, kit oxigênio e materiais para cirurgia, passando por homologação em Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV).

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui