40 mil pessoas foram atingidas pela enchente em Lajeado, direta ou indiretamente, afirma coordenador da Defesa Civil

“Serão muitas semanas de sequência dos trabalhos para a retomada da normalidade”, avalia o prefeito Marcelo Caumo.


0

Nesta sexta-feira (10), a Defesa Civil de Lajeado ainda contabiliza os estragos causados pela enchente que atingiu o município e a região do Vale do Taquari a partir de terça-feira (7) à noite. Conforme o coordenador, Heitor Hoppe, são 104 famílias desabrigas, totalizando 320 pessoas. Estas estão abrigadas no Parque do Imigrante. Além delas, outras 300 famílias, o que corresponde a cerca de mil pessoas, foram desalojadas de suas casas em função de alagamentos. Direta ou indiretamente, são 40 mil pessoas afetadas em Lajeado, aproximadamente metade da população.


ouça a entrevista

 


“Pessoas afetadas, de forma direta ou indiretamente pela enchente, nós calculamos, pela projeção e densidade demográfica nos cadastros da prefeitura, pelos bairros atingidos, devem ter sido atingidas em torno de 40 mil pessoas em Lajeado”, detalha Hoppe. “É realmente um desastre natural climático que interferiu muito na vida das pessoas”, afirma.

O prefeito Marcelo Caumo diz que os gestores municipais ainda procuram entender os fatores que levaram à maior cheia do Rio Taquari em 64 anos. “Nenhuma das cidades conseguiu prever com antecedência a velocidade e as características dessa enchente. Foram mais de 32 horas de cheias do Rio Taquari. Isso não é normal”, afirma.

Heitor Hoppe: “Não tem culpados nessa situação. Nós trabalhamos da melhor forma possível e salvamos vidas” (Foto: Tiago Silva)

Em reunião na manhã desta sexta-feira (10), prefeitos definiram que agilizarão os levantamentos de estragos para encaminhar decreto de calamidade pública regional. Com o auxílio do senador Luís Carlos Heinze (PP), procuram aceleram a tramitação em Brasília para a obtenção de recursos, destinados à reparação dos estragos.

Caumo diz que “a grande lição que a gente tira é que o sistema de medição eletrônica do rio pegou poucas cheias” desde que foi inaugurado. “Temos que ter a testagem oficial e ter testagens paralelas também. Se um não der certo, temos que ter outra para nos socorrer”, defende.

“Não tem culpados nessa situação. Nós trabalhamos da melhor forma possível e salvamos vidas”, afirma o coordenador da Defesa Civil de Lajeado, Heitor Hoppe.

Paulo Locatelli: “A forma abrupta como aconteceu eu jamais tinha pego” (Foto: Tiago Silva)

Com experiência em Defesa Civil nos níveis federal, estadual e municipal, o secretário de Segurança Pública de Lajeado, Paulo Locatelli, diz que “a forma abrupta como aconteceu eu jamais tinha pego”. Ele ressalta que, agora, é preciso analisar os problemas e encontrar soluções. “Queremos melhorar, qualificar em ternos de material e embarcações, porque os bombeiros também colapsaram”, lembra, ao falar sobre os atendimentos aos desabrigados e ilhados pela enchente.

“Toda equipe da prefeitura se envolveu na operação”, detalha Heitor Hoppe. “Nossos quatro telefones ficaram ocupados de forma ininterrupta. Atendemos todas as pessoas possíveis de alcançar”, diz ele. “Se alguma pessoa ainda não foi atendida, continue nos procurando que estamos atendendo dentro do possível”, ressalta.

“A demostração de união e solidariedade do povo de Lajeado é algo marcante nesta enchente”, pontua o prefeito Marcelo Caumo. “Cabe agradecer à nossa população e a todos que puderam contribuir de alguma maneira.”

Agora o desafio é possibilitar o retorno das pessoas afetadas pelos alagamentos às suas moradias. Muitas delas ainda não têm o diagnóstico dos estragos causados pela água.

Marcelo Caumo: “A demostração de união e solidariedade do povo de Lajeado é algo marcante” (Foto: Tiago Silva)

A Prefeitura de Lajeado, por sua vez, foca na prestação de auxílio (coordenação às doações de agasalhos, roupas, produtos de higiene e alimentação, além de mobiliário), e na limpeza e recuperação de ruas. “Serão muitas semanas de sequência dos trabalhos para a retomada da normalidade da nossa cidade”, avalia Caumo.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui