70% das agências do Vale do Taquari aderiram à paralisação dos Correios

Funcionários dos Correios de todo o país decidiram dar continuidade a greve iniciada no dia 17 de agosto.


0

Os funcionários dos Correios de todo o país decidiram dar continuidade a greve iniciada na segunda-feira da semana passada, dia 17 de agosto. A decisão foi anunciada neste sábado (22) pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Findect). 70% das agências do Vale do Taquari aderiram à paralisação, afirmou o secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do RS, Alexandre dos Santos Nunes, durante entrevista ao programa Redação no Ar desta segunda-feira (24).


OUÇA A ENTREVISTA


De acordo com o secretário, a empresa retirou todos os benefícios dos trabalhadores desde primeiro de agosto. Nunes explicou que o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu, de forma definitiva, o acordo coletivo dos trabalhadores dos Correios.

Secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telegráfos do RS, Alexandre dos Santos Nunes (Foto: Arquivo Pessoal /Divulgação)

Nunes questiona a falta de compreensão por parte da empresa. Segundo ele, em meio à pandemia, o lucro dos Correios foi de R$ 383 milhões. “Maior que o lucro do ano passado inteiro”, afirma.  O sindicalista ressalta que devido à diminuição de 30% do efetivo, os colaboradores vêm realizando horas extras para suprir a demanda. “Teve aumento de serviço e diminuição de mão-de-obra”, reitera.

Ao ser questionado sobre a previsão de término da paralisação, Nunes ressaltou que a categoria quer a reedição do acordo coletivo de trabalho. “Queremos que honrem com o que foi acordado no ano passado”, expressa. “Não estamos pedindo reajuste, só a manutenção do que a gente têm”, completa.

Na avaliação de Alexandre o movimento está superando as expectativas, principalmente devido à força das redes sociais.

Ao final da entrevista, Alexandre dos Santos Nunes, opinou sobre a repercussão da privatização dos Correios.  O secretário revela que, segundo o mapa financeiro dos correios, 92% da receita da empresa é arrecadada em 397 municípios do país. Os correios possuem agências em 5510 cidades. “Menos de 10% das unidades arrecada 92% da receita, o restante é tudo deficitário”, argumenta. “A iniciativa privada vai abrir alguma agência de correio em uma cidade que não dará lucro?”, questiona.

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui