“A busca pela excelência no atendimento é de longa data”, afirma coordenadora do Setor de Qualidade do HBB

Hospital Bruno Born agora é nível 3 em excelência, posição ocupada por apenas 3% dos hospitais brasileiros.


0
Farmacêutica e coordenadora do Setor de Qualidade do hospital, Samanta Vanzin (Foto: Tiago Silva)

O Hospital Bruno Born (HBB), de Lajeado, conquistou a acreditação nível 3 de excelência da Organização Nacional de Acreditação (ONA), que reconhece a qualidade de seus serviços e o esforço da instituição em oferecer o melhor atendimento à comunidade regional. O resultado vem um ano depois de o HBB ser acreditado em Nível 2.

A certificação é um reconhecimento de que a instituição atende aos rigorosos padrões que a metodologia exige. No decorrer da avaliação todas as áreas da instituição são visitadas e mais de 1,7 mil requisitos verificados antes da homologação da acreditação, que é válida por três anos.

A farmacêutica e coordenadora do Setor de Qualidade do hospital, Samanta Vanzin, destaca que o processo para conquistar o certificado de acreditação, neste nível, começou a mais de uma década dentro da instituição. Ela afirma que “a busca pela excelência no atendimento é de longa data”.


ouça a entrevista

 


 

A conquista coloca o Hospital Bruno Born em um grupo seleto e integrado pelas melhores instituições do país: apenas 3% dos hospitais brasileiros possuem o Nível 3, e apenas outros seis hospitais gaúchos já alcançaram a certificação. O HBB é a única instituição de saúde dos vales do Taquari e Rio Pardo a contar com a honraria.

Para a acreditação, os avaliadores buscaram evidências de conformidade com os padrões do Manual Brasileiro de Acreditação nas diversas áreas, incluindo a gestão organizacional, a qualidade e a segurança na assistência prestada, bem como ciclos de melhorias e maturidade institucional.

“O hospital é uma empresa complexa, que envolve hotelaria, envolve higiene, nutrição. Tem muitas áreas trabalhando junto, que têm que atuar em sincronia para que o resultado final se reflita no paciente”, destaca a coordenadora de qualidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui