“A cena aqui já foi mais ativa mesmo”, admite Alemão Ronaldo, sobre o rock gaúcho

Músico analisa que o rock está em um ciclo de baixa que está custando a passar.


0

O programa Troca de Ideias desta terça-feira (14) conversou com Alemão Ronaldo sobre a cena do rock gaúcho. Precursor nos palcos gaúchos, desde os anos 1980, como líder das bandas Taranatiriça e Bandaliera, e desde 2004 em carreira solo, Alemão Ronaldo admite que o cenário já foi mais favorável ao estilo musical. O roqueiro concorda com vocalista da banda Nenhum de Nós, Thedy Corrêa, sobre uma “ditadura do sertanejo universitário”. É uma crítica à prevalência desse gênero musical na mídia e entre o público consumidor. “Sertanejo universitário que nunca se forma, né? Ele está sempre ‘universitário’”, alfineta.


ouça a entrevista

 


 

“A cena aqui já foi mais ativa mesmo, assim, de ter muitas bandas”, analisa o músico. “Agora, atualmente, ainda tem uma cena forte a nível de rock, mesmo que a grande mídia tende a dar mais espaço a outros estilos musicais. Mas, mesmo assim, o nosso rock and roll ainda resiste, sempre tendo muitas bandas, muito estilo próprio da nossa raiz aqui do Sul. Isso que mantém o nosso rock ainda a poder continuar. Porque, se fosse pela mídia, o nosso rock nem tinha mais.”

Para Alemão Ronaldo, faz parte de um ciclo o rock estar em baixa. “Isso é um ciclo, mas que está custando a passar”, reconhece ele, que ainda mantém o otimismo: “Daqui a pouco, o rock está mais na ativa de novo.” Ele nota o surgimento de novas bandas do gênero surgindo. “Vejo, quando vou tocar por aí, sempre tem bandas que abrem os shows”, diz. “Isso que dá essa continuidade para trabalhar.”

Em período de pandemia, o músico lamenta o cancelamento de shows, e se diz desconfortável com as lives. “Eu não curto muito”, admite. “É que nem futebol sem ter torcida, é forçar a barra”, diz ele.

Saiba mais

Desde 2004 em carreira solo, Alemão Ronaldo gravou três CDs e dois DVDs neste período. No palco, ele é acompanhado pelos músicos Ricardo Sabadini (guitarra), Edu Meirelles (baixo), André Pereira (bateria) e Murilo Moura (teclado/piano).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui