“A ideia é que o movimento continue, então pedimos que as pessoas leiam e repassem o livro”, destaca coordenadora cultural

Prefeitura espalhou 80 livros pelos bairros de Lajeado em pontos específicos como forma de incentivar a leitura


0
Projeto consiste na distribuição, por bairros de toda a cidade, de 80 livros que haviam sido doados para o acervo da Biblioteca Pública Municipal (Foto: Maiara Rovêa / Divulgação)

Desde esta quinta-feira (25) quem passar por pontos específicos de Lajeado pode ser surpreendido com livros de diversos gêneros. Isso porque a Secretaria da Cultura, Esporte e Lazer (Secel) espalhou 80 livros em alguns bairros do município. Para comemorar os 80 anos da Biblioteca Pública Municipal João Frederico Schaan e incentivar a leitura, a Secel criou o projeto “Presente Para Ler”.


ouça a reportagem

 


A coordenadora cultural Talita Fracalossi explica que o principal objetivo é fazer com que, neste momento de restrições, as pessoas tenham a leitura como ocupação. “O momento que vivemos é de muita angustia e de muitas informações que se tornam pesadas. Então, resolvemos criar esta ação como forma de presentear a comunidade. A questão principal é para incentivar a leitura e aproximar as pessoas dos livros”, comenta.

Ela explica que após a leitura, se for do interesse da pessoa, a intenção é que o livro seja repassado a outra pessoa. “A ideia é que o movimento continue, então pedimos que as pessoas leiam e repassem o livro, e assim siga o movimento para continuarmos fomentando a leitura”, ressalta.

Jairo Fabiano Cardoso, o Stampinha, foi presenteado com livro do projeto (Foto: Divulgação)

Um projeto parecido ocorreu em 2019. A biblioteca municipal está fechada para o público devido as restrições da bandeira preta. A coordenadora cultural também fala que é necessário que ao ser presentado com a obra literária a pessoa faça uma fotografia e poste em suas redes sociais mencionando o Instagram da Secel. “Junto com o livro vem uma cartinha com as instruções e pedimos que as pessoas publiquem foto do livro e nos marque”, comenta.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui