A importância do suporte ao cliente na internet


0
Investir em um suporte ao cliente de qualidade é imprescindível nos tempos atuais. (Fonte: Pixabay)

Existem algumas coisas que não desejamos utilizar nunca, como seguros de carro e convênios médicos, por exemplo, porém é de extrema importância que serviços como esse sejam de boa qualidade.

Da mesma maneira, ninguém quer depender de atendimento ao cliente para nada, mas se precisar, ele deve ser eficiente e completo em tudo o que se propor – afinal, nada aguça mais nosso senso crítico do que a necessidade, essa é a verdade.

Seja para quem oferece, seja para quem solicita, entender a importância do atendimento ao cliente em suas diversas facetas é essencial para construir um relacionamento saudável ente consumidor e empresa, e é disso que trataremos.

Diferentes áreas de atuação

Desde a menor lojinha de bairro até os gigantes internacionais de entretenimento online, todos precisam levar a sério a necessidade do atendimento ao consumidor. Por isso, cada vez mais em sites de análises de cassinos online como o Grandes Ganhadores, por exemplo, o peso dado ao serviço de atenção ao cliente é o maior possível. Quem trata bem seus clientes sempre sairá na frente.

A verdade é que, como é de conhecimento geral por parte dos empresários, custa muito mais obter novos clientes do que manter os antigos, e a melhor maneira de fazer essa manutenção é dando a devida atenção a eles, o que passa, sem dúvidas, pelo setor de atendimento ao consumidor.

A evolução do atendimento ao consumidor

Em se tratando de Brasil, nada é mais importante no setor de atendimento ao cliente do que o famoso Código de Defesa do Consumidor. A questão que nem todos sabem, porém, é que esse conjunto de leis, tão fundamental hoje, existe há apenas 30 anos, já que foi aprovado pelo Congresso Nacional apenas em 1990.

Algumas coisas consideradas básicas e garantidas na atualidade não eram sequer imaginadas antes – desde a simples possibilidade de uma troca de roupa até questões mais sérias, como transparência na composição dos produtos e suas datas de validade, por exemplo.

O que se via, naturalmente, eram ações descentralizadas por parte das empresas, que adotavam políticas próprias em relação a seus clientes. Claro que o bom senso sempre esteve presente, mas as obrigações do lado vendedor eram bem mais permissivas antes do CDC, que hoje representa a principal arma do consumidor brasileiro.

Da mesma maneira que as coisas eram diferentes antes de 1990, se engana quem pensa também que os direitos do consumidor não mudaram ao longo dessas décadas – afinal, estamos falando do advento da internet desde então, e a chegada de uma geração completamente nova de pessoas economicamente ativas. Eles mudam constantemente, e mudam até hoje.

Eficiência na resolução de problemas

Pouco importa, no fim das contas, se o cliente é uma pessoa física ou um conglomerado internacional, da mesma maneira que não importa se o vendedor é um empreendedor solitário ou uma megacorporação: espera-se qualidade no atendimento e, em caso de necessidade, pronta resolução de quaisquer problemas que possam aparecer.
A tecnologia tem papel muito importante quando se fala disso; o comércio é quase tão antigo quanto a humanidade, e é apenas natural vê-lo evoluindo conforme o meio, o que inclui a forma de atender aos clientes insatisfeitos. Nesse ponto, a internet é aliada valiosa para os dois lados envolvidos.

O que antes dependia apenas do olho no olho, do cliente indo reclamar pessoalmente no balcão, hoje se subdividiu em atendimento por telefone, chat ao vivo, e-mail, WhatsApp e qualquer outro meio de comunicação imaginável. A internet se consolida como o meio favorito, o que é perfeitamente compreensível: o tempo de resposta é incomparável, bem como o conforto de quem usa.

A regra é sempre a mesma: atender rápido, solucionar de maneira eficiente e, através disso, garantir que o cliente saia satisfeito o suficiente para voltar a fazer negócios, mesmo que tenha havido algum problema no momento da primeira venda.

Para oferecer o serviço mais impecável possível hoje, o empresário precisa se preocupar com a experiência pré-venda, isto é, oferecer um ambiente propício ao negócio, seja ele qual for, de modo que o cliente se sinta confiante e incentivado a concluí-lo.

Igualmente importante é o pós-venda, que vai desde a solução de problemas que surgirem até o simples acompanhamento de satisfação do consumidor – vide os sistemas de avaliação e notas que tantas empresas usam hoje, especialmente em delivery de comida, transporte e vendas online.

Este é um conteúdo de divulgação comercial e de responsabilidade de seus idealizadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui