A magia do Papai Noel está ao nosso alcance, todos os dias

Jornalista e psicóloga Tamara Bischoff analisa o comportamento do "bom velhinho" em atos do dia a dia


0
Foto: Ilustrativa

A presença do Papai Noel aqui no programa me instigou a pensar sobre seu papel em nossas vidas. Quando crianças, somos avisados de sua existência, que se materializa a cada mês de dezembro. O bom velhinho que povoa o imaginário infantil e distribui presentes também é aquele que vigia o comportamento, incorporando, assim, diferentes sentimentos, como admiração, medo e curiosidade.

Crianças e adultos depositam na fantasia do Papai Noel sonhos e esperanças. Na infância, é essencial que isso aconteça, que se dê espaço para a fantasia, para o mundo mágico cujos personagens auxiliam a criança em seu processo de amadurecimento emocional e social.
Papai Noel também é símbolo de solidariedade. E mesmo já tendo deixado a infância há alguns anos, eu sigo acreditando na sua existência. Eu percebo que seu espírito habita diferentes corpos. Quando escrevi este texto, na quinta-feira passada, encontrei vários papais noéis pelo centro de Lajeado. Mas dois em especial me marcaram.

Tamara Bischoff, jornalista e psicóloga, no quadro “Postura Profissional

”Fui em uma loja de brinquedos comprar um presentinho que faltava. Perguntei se poderiam me vender papel de embrulho pois precisava embalar outro item em casa, que era muito grande para as embalagens que eu tinha. A vendedora respondeu que sim. Mas aconteceu que na pressa, paguei pelo brinquedo e esqueci do papel. Quando me lembraram disso, respondi que eu deixaria assim, estava com os minutos contados e não iria passar o cartão novamente e furar a fila. O dono da loja puxou um metro de papel, me consultou se aquela quantidade era suficiente e me entregou, sem cobrar nada.

Horas depois, fui a uma clínica para realizar um procedimento estético. Comentei que estava cansada. O profissional que me atendeu, proprietário do local, perguntou se eu tinha um tempinho disponível, e diante da minha confirmação, solicitou para a colega que aplicasse no meu rosto uma máscara relaxante e me deixasse descansar alguns minutos em uma sala.

Vai dizer que não é o tipo de coisa que se espera do Papai Noel? Dois atos singelos, e ao mesmo tempo tão sensíveis e, portanto, significativos. É essa a magia que está ao nosso alcance e que podemos fazer em nosso dia a dia, todos os dias.

O poeta Mario Quintana escreveu: “Permita-se rir e conhecer outros corações. Aprenda a viver, aprenda a amar as pessoas com solidariedade, aprenda a fazer coisas boas, aprenda a ajudar os outros, aprenda a viver sua própria vida”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui