A presença da música na rotina diária traz benefícios para a saúde mental

Confira o comentário da jornalista, psicóloga e psicanalista clínica Dirce Becker Delwing.


0
Foto: Divulgação

O efeito da música no psiquismo chama a atenção de pensadores desde a Antiguidade. Filósofos como Aristóteles e Platão escreveram sobre o assunto. No século XIX, foi a vez de Nietzsche definir a música como uma forma superior de arte. De um modo mais concreto, o uso da música em espaços de saúde aconteceu no início do século passado quando hospitais dos Estados Unidos utilizaram a música como dispositivo terapêutico na recuperação de soldados da guerra.


ouça o comentário

 


 

Por conta disso, em 1944, nesse mesmo país, surgiu a primeira escola de Musicoterapia. Desde então, diversos estudos apontam os benefícios da música para a saúde mental. Se a música é usada para auxiliar na cura de doenças, por que não incorporá-la ao cotidiano de forma preventiva? O projeto “Música para não enlouquecer” tem a pretensão de motivar as pessoas a utilizarem canções como companhia no cotidiano.

Trata-se de uma palestra show ministrada pelo músico Nando Rosa e pela jornalista e psicóloga Dirce Becker Delwing. A atividade é dirigida a empresas, instituições de saúde, escolas, grupos de convivência. Mais informações: (51) 998059336, ou no perfil do Facebook ou Instagram dos palestrantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui