Abandono de animais aumenta no final de ano no RS

Muitos donos tiram férias e largam os animais nas ruas com a justificativa de não ter onde deixá-los


0

O período de fim de ano pode ser desolador para muitos animais. Nessa época, muitos são abandonados pelos donos, que viajam no período de férias e acabam por soltá-los nas ruas. Um levantamento divulgado pelo Observatório Estadual de Segurança Pública mostrou resultados que expressam crueldade contra bichos, entre elas o abandono, no Rio Grande do Sul. Conforme o estudo, 2.412 animais foram vítimas de alguma forma de violência em 2019, realidade que aumentou para 3.476 em 2020 e será superada por 2021, que ainda não terminou e já contabilizou 4.199 ocorrências de janeiro a novembro.

Esses números começam a subir no último trimestre, a partir de setembro. Para ter uma ideia, só na Capital, os números chegam a 212, 335 e 878 em 2019, 2020 e 2021 (janeiro a novembro). A presidente da Associação Rio-Grandense de Proteção aos Animais (Arpa), Eliane Tavares, ressaltou que em dezembro a prática do abandono aumenta expressivamente. “Sobe em média 70% em relação aos demais meses do ano”, comparou.

O período de férias é um dos motivos que incentiva esse crime previsto na lei federal 9.605/1998, com pena de reclusão (regime fechado) de dois a cinco anos, no que tange à crueldade cometida contra cães e gatos, sendo que a apuração do crime será realizada por meio de inquérito policial. “As pessoas vão para a casa de parentes ou para hotéis e alegam que não têm onde deixar, muitas vezes recorrendo aos abrigos para entregar o animal que um dia serviu de companhia”, enfatizou.

Fonte: Correio do Povo

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui