Abril começa com previsão de chuva pelo Rio Grande do Sul

Precipitação irregular não resolve o problema da estiagem, que causa prejuízos a 248 municípios, segundo a Defesa Civil.


0
Foto: Rodrigo Gallas

O mês de março encerra com sol e calor no Rio Grande do Sul nesta terça-feira. O dia deve ser parecido com a segunda-feira e a temperatura deve ser agradável pela manhã, com aquecimento à tarde.

De acordo com a MetSul Meteorologia o aquecimento da tarde, juntamente com a umidade relativa do ar mais elevada, pode resultar em chuva isolada. Ela deve ser irregular e variar conforme o ponto do Estado, especialmente na segunda metade do dia. Em Lajeado, a temperatura mínima foi de 21°C, e a máxima será de 34°C.

Amanhã, quarta-feira (01), o mês de abril começa com previsão para chuva. No decorrer da tarde, instabilidades avançam sobre o território gaúcho com pancadas de chuva. A chuva retorna gradualmente ao Sul do Brasil após uma longa sequência de dias de tempo seco e ensolarado que acabou por agravar ainda mais o quadro de estiagem na região.

Será uma precipitação muito irregular, ocasionalmente forte em alguns pontos, mas que não resolve o problema da estiagem, resultando em prejuízos a 248 municípios, segundo a Defesa Civil.

Secretário da Agricultura fala sobre a estiagem

O secretário Estadual da Agricultura, Covatti Filho, analisou os impactos do Covid-19 na produção e na distribuição de alimentos no Rio Grande do Sul. De acordo com ele, a principal preocupação de impacto econômico está na seca, que vem sendo mais prejudicial do que o coronavírus para o campo. “Tínhamos a previsão de colhermos, em soja, R$ 19 milhões e 17 mil toneladas. Com a seca, colheremos R$ 12 milhões. Isso traz prejuízo ao produtor, mas também para a exportação”, ressaltou. “Com a alta do dólar e os efeitos da seca, podemos chegar a um prejuízo de até R$ 8 bilhões”, acrescentou, em entrevista a Rádio Guaíba, nesta segunda-feira.

Poluição do ar

O monitoramento da qualidade do ar em Porto Alegre mostra que o distanciamento social para minimizar os efeitos do novo coronavírus diminuiu os níveis de poluição na cidade.

A diminuição dos níveis de poluição atmosférica foi observada em muitos países do mundo que adotaram as mesmas medidas. A poluição despencou na China, por exemplo, entre janeiro e fevereiro, o que agora se observa em muitos países ocidentais.

A In Loco, empresa de tecnologia de geolocalização, cujo software está embarcado em mais de 60 milhões de celulares, mostra que o índice de qualidade do ar (AQI) máximo registrado na Capital na semana passada foi de 23 pontos. Na primeira quinzena de março diversos dias tiveram picos do índice de qualidade do ar entre 50 e 80, quando é considerada boa abaixo de 50. AS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui