Câmara aprova proposta de conceder cestas básicas para policiais civis lotados em Lajeado

Crédito será de R$ 921,60 para ser utilizado em estabelecimentos sob licitação


1
Sessão desta terça-feira (10) (Foto: Caroline Silva)

A Câmara de Vereadores de Lajeado aprovou três dos cinco projetos da ordem do dia nesta terça-feira (10). Um deles foi adiado e outro retirado. Uma das propostas aprovadas foi uma matéria do Executivo que autoriza a abertura de crédito especial para a Secretaria Municipal da Segurança Pública, no valor de R$ 18.432,00. O valor será destinado ao pagamento de Bolsas-Policiamento Comunitário a até oito policiais civis, lotados nos órgãos Estaduais de Segurança Pública no município. O crédito será de R$ 921,60 para ser utilizado em estabelecimentos comerciais sob licitação para compra de alimentos e produtos de higiene.


OUÇA A REPORTAGEM


 

O projeto foi aprovado por todos os vereadores, mas Lorival Silveira (PP) questionou de por quê não pode aumentar o salário das monitoras de Lajeado. “O projeto vem dar um suporte e incentivo ao policial civil que está fazendo um bom trabalho em Lajeado, mas se da para dar R$921 para os policias militares, por que não dá para aumentar o salário das monitoras de creches?”, provoca.

Lorival Silveira (PP) (Foto: Caroline Silva)

Mas Ana da Apama (MDB) rebateu. A vereadora disse que esses profissionais precisam desse incentivo para permanecer no município. “Eles precisam de um incentivo sim, e esses policiais recebem treinamento especifico para estarem trabalhando na prevenção contra as drogas e violência, e geralmente desempenham esse trabalho fora do horário. Tenho certeza que eles precisam de um incentivo, muitos vão embora e é uma forma deles permanecerem em Lajeado”, defende.

Ana da Apama (MDB) (Foto: Caroline Silva)

Stacione Rotativo

A Stacione Rotativo pediu à prefeitura um aumento de R$ 0,40 no valor da tarifa do estacionamento na área azul do centro da cidade, que saltaria de R$ 2,20 para R$ 2,60. Isso também foi levantando no plenário. O vereador suplente Oilquer Soares, o Neco (PSDB), que assumiu por 15 dias o lugar de Marcio Dal Cin (PSDB) pediu para que os vereadores votem contra o aumento, caso a proposta vá para apreciação do legislativo. “Estão de brincadeira! Enquanto se fechava estabelecimentos, pequenos e médios empresários fechavam suas portas, a Stacione estava cobrando. No contrato da Stacione, há poucas informações, não se encontra nem quantos trabalhadores estão na rua, enquanto muitos empresários estão hoje respondendo na Justiça porque abriram seus estabelecimentos”, declara.

Vereador suplente Oilquer Soares, o Neco (PSDB) (fFoto: Caroline Silva)

Quem também se mostrou ser contra ao pedido de reajuste foi Eder Spohr (MDB). O parlamentar disse que a empresa não tem gastos com combustível, por exemplo, para pedir aumento. “Não sei qual a justificativa da Stacione, sendo que o insumo maior dela é mão de obra. Ela utiliza a mão de obra, não utiliza combustível. Espero que o prefeito, se for autorizar por decreto, que não seja esse percentual, e se passar por essa casa, vou votar contra”, ressalta.

Eder Spohr (MDB) (Foto: Caroline Silva)

Covid e vacinação

A Covid-19 e os horários de vacinação em Lajeado foi abordado por Lorival. O vereador falou, mais uma vez, sobre o curto período de aplicação dos imunizantes no município, das 8h às 14h, o que dificulta para funcionários de empresas. “É bonito fazer live, mas na prática não vejo isso. Em Lajeado, no dia dos pais não se pega Covid, não vacinaram. A vacinação é das 8h às 14h, e quem trabalha em empresa não está dentro dessa oportunidade. Vamos dar oportunidade para as empresas também. Temos que facilitar para as pessoas”, adverte.

Em Lajeado, 189 multas no mesmo local

O vereador Carlos Eduardo Ranzi (MDB) enviou ofício ao departamento de trânsito, solicitando providências no sentido de minimizar infrações de trânsito. Conforme ele, o município registrou 189 multas sobre cruzar tachões, no ano passado, na Avenida Benjamin Constant, número 1707, em frente a Panvel. O parlamentar sugere pintura horizontal como sentido único e alteração do local da faixa de segurança, mas adianta que seriam em poucas ruas. “Não vai ter em todas as ruas, serão poucas, somente onde tem os tachões, mas interessa o ponto onde isso acontece. Se tivesse fiscal de trânsito o tempo todo seria mais de R$ 500 mil arrecadado. Quando a gente chega num número tão grande de infrações, é porque elas já acham normal. Alguma coisa a mais precisa ser feito, a retirada da faixa de segurança, uma campanha educativa”, explana.

Carlos Eduardo Ranzi (MDB) (Foto: Caroline Silva)

Novo espaço para doação de roupas

Um dos requerimentos aprovados foi o de autoria do vereador Lorival. Ele pede ao Executivo que seja criado um espaço onde as pessoas possam doar as suas roupas, pois, conforme ele, hoje o espaço Vestir e Ser, não atende as pessoas que mais precisam. “Precisamos de um espaço de segunda a sexta, onde as pessoas possam doar suas roupas e receber. Não podemos concordar que a pessoa que precisa de um agasalho ou de um cobertor tenha que agendar. Esse sistema precisa ser melhorado”, diz.

Heitor Hoppe (PP) concordou com Lorival e disse que o espaço deveria contar com uma pessoa em turno integral. “Quando trabalhei na Defesa Civil a gente atendia todos os dias, e fazíamos uma contagem das roupas e doávamos o dia inteiro, no inverno não se escolhia o dia. Nunca deixamos ninguém empenhado. Precisamos ter uma pessoa em tempo integral para realizar esse trabalho”, sugere.

Heitor Hoppe (PP) (Foto: Caroline Silva)

Texto: Caroline Silva

jornalismo@independente.com.br

1 comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui