Ação para proteção de nascentes garante água de qualidade para mais de 100 famílias de agricultores de Progresso 

Implantação do sistema garante a captação da água em maior abundância e com reduzido risco de contaminação


0
Foto: Tiago Bald/Divulgação

Um levantamento recente feito pela equipe da Emater/RS-Ascar de Progresso, mostrou que na última década, somente no município, foram mais de 100 famílias de agricultores beneficiadas com ações para proteção de nascentes. Tipo de intervenção pouco invasiva e totalmente de acordo com a Legislação Ambiental em vigor, a implantação do sistema garante a captação da água em maior abundância e com reduzido risco de contaminação por partículas de solo ou matéria orgânica, o que diminui o risco de doenças. 

Recurso natural necessário para praticamente todas as atividades realizadas no meio rural, a água de qualidade e abundante é fundamental não apenas pela redução de custos de produção que propicia ao agricultor, mas também por possibilitar a segurança em tempos de estiagem. O caso do suinocultor Leandro Luis Casanova, da localidade de Tiririca é emblemático: com mais de 1.100 suínos em terminação alojados, o consumo de água ultrapassa os 10 mil litros diários. 

Na propriedade em que trabalha ao lado do pai Lourenço, o recurso é utilizado em praticamente todos os cultivos. “Os animais são muito suscetíveis a doenças e uma água suja, sem higiene, pode gerar excesso de coliformes fecais ou a presença de bactérias que comprometam o seu desenvolvimento”, explica Casanova. Não por acaso, Leandro procurou a Emater/RS-Ascar quando ainda estava iniciando nas atividades. 

“Na realidade a gente sempre ouvia falar que havia um trabalho muito forte de proteção de nascentes aqui em Progresso, de acordo com a Legislação e com investimento baixo”, recorda o agricultor. Na propriedade em que trabalha são quatro fontes em sistema de alvenaria, com um custo não muito superior a R$ 200 – com os quais foram comprados tijolos, canos, tampões, cimento, areia e lona. Para reter a água, Leandro conta com duas caixas da água, uma de 20 e outra de 10 mil litros que, segundo ele, estão sempre cheias. 

Com o primeiro lote de suínos recém-entregue, Casanova elogia a sanidade dos animais, o que pode estar diretamente ligado a qualidade da água. “Ela sai tão fresquinha da fonte que até para consumo humano serve”, atesta Lourenço. Situação semelhante vive o casal de produtores Viviane Lussani e Júlio Camargo, da localidade de Apitiri: bovinocultores de leite, utilizam a água de uma nascente protegida para dessedentação animal, para o cultivo de frutas e de legumes e para o consumo da família. “São dois mil litros por dia”, observa Júlio. 

A certeza de que não passarão trabalho em tempos de seca e de que têm a sanidade do rebanho garantida, com redução de contaminações e de incidência de doenças como mastite são motivadores. “Antes não tínhamos confiança na água que chegava da torneira”, destaca Viviane. Integrantes da Chamada Pública do Tabaco – política pública operacionalizada pela Emater/RS-Ascar no passado -, já haviam participado anteriormente de capacitações sobre o tema. “Vimos ali uma oportunidade para que tivéssemos acesso à agua de qualidade”, pondera Júlio. 

A extensionista da Emater/RS-Ascar Simone Kotz Wobeto destaca que esse trabalho busca a integração do homem com o meio ambiente, a partir de uma construção que busca a harmonia entre a manutenção da natureza e o desenvolvimento econômico e social. “É uma ação sustentável, acessível, prática e com grande retorno para os produtores”, salienta. Na região dos vales do Taquari e Caí, somente em 2019 foram realizadas 88 ações para proteção de nascentes e olhos d’água, atendendo 78 famílias de agricultores. 

Mesmo em um contexto de pandemia, a atividade seguiu em 2020, com mais de 100 projetos executados e 25 municípios da região envolvidos. A ação conta com a parceria da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Governo do Estado, além do apoio de prefeituras. Em Progresso, o trabalho conta com o apoio das secretarias de Agricultura, Obras, Assistência Social e Saúde. Dúvidas podem ser tiradas com as equipes da Emater/RS-Ascar dos municípios da região. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui