Cinco meses depois de iniciar duplicação da BR-386, CCR já concluiu duas pontes e começa agora etapa de pavimentação

Concessionária deve concluir de sete a 10 quilômetros até fevereiro de 2022


0

As obras de duplicação da BR-386 seguem em ritmo acelerado no trecho entre Lajeado e Marques de Souza. Cinco meses depois de iniciar os trabalhos no local, a CCR ViaSul começa agora as ações de pavimentação do trajeto. No total, serão 20,3 quilômetros ampliados e a previsão é que a entrega ocorra em fevereiro de 2023.

Segundo o coordenador de engenharia da concessionária, Fábio Hirsch, nos últimos dias, aproximadamente 1,5 quilômetro de extensão (entre os km 326 e 327,5) receberam as primeiras camadas da base. O ponto fica localizado nas proximidades do trevo de acesso para o município de Marques de Souza.

“Esse é um marco muito importante para nós todos, porque demonstra que em cinco meses de obra a concessionária conseguiu dar andamento na terraplanagem, na supressão da vegetação, na execução da drenagem e agora então da início na pavimentação. Ela é uma estrutura de multicamadas que vai receber o carregamento do tráfego e suportar as condições climáticas ao longo do tempo. São diversas camadas de material rochoso que culminam no asfalto, onde o usuário trafega em cima”, explica.

Além disso, durante o período, a concessionária também já concluiu a construção de duas das seis pontes previstas no contrato. Foram finalizadas as estruturas sobre a várzea de Marques de Souza, no km 326, e sobre a Sanga Picada Flor, no km 329. As outras quatro pontes já estão com as vigas pré moldadas prontas e as fundações executadas.

“A evolução das obras de concreto também foram muito boas e estão num ritmo bem acelerado. A gente iniciou a duplicação num período bem conturbado em relação as condições climáticas. Começamos em julho e vivemos dias bem chuvosos, o que atrasou um pouco nosso serviço de terraplanagem. Por outro lado, acelerou as detonações e a produção de concreto”, relata Hirsch.

O coordenador de engenharia avalia ainda que os serviços estão adiantados dentro do cronograma inicial previsto para o andamento das obras. No entanto, em relação ao cronograma contratual, existe um atraso, pois a licença ambiental, prevista para fevereiro, foi liberada apenas no dia 30 de junho.

“O que vai mudar como isso? A obra de 2 anos previa a conclusão de 10 km no primeiro ano e mais 10 km no segundo. A gente está buscando este primeiro trecho que deveria ser entregue em fevereiro de 2022, mas o nosso cronograma esta mostrando que vamos conseguir finalizar de sete a 10 quilômetros, dependendo ainda das condições climáticas que teremos daqui para frente”, projeta.

Os primeiros 20,3 quilômetros de ampliação preveem ainda 13 quilômetros de vias marginais, dois retornos em nível, seis adequações de acesso, quatro passarelas de pedestres, seis alargamentos de pontes existentes, duas passagens inferiores e duas superiores. O investimento total deve ser aproximar dos R$ 300 milhões.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui