Ações de combate ao mosquito Aedes aegypti seguem nos bairros de Lajeado

Município tem 26 casos confirmados da doença, 27 descartados e 24 em investigação


0
Foto: Pietra Darde/Divulgação

A Prefeitura de Lajeado, por meio da Secretaria da Saúde (Sesa), segue com as ações de combate e prevenção ao mosquito transmissor, o Aedes aegypti. As visitas domiciliares têm sido direcionadas para os bairros onde foram constatados casos suspeitos e confirmados de dengue. Os casos confirmados são de pessoas residentes dos bairros São Cristóvão, Moinhos, Centro, Universitário, Florestal, Morro 25, São Bento, Alto do Parque, Campestre e Hidráulica. Nesta quinta-feira (20), Lajeado registra 26 casos confirmados da doença, 27 descartados e 24 em investigação.

Durante todo o ano, de forma permanente, os agentes de endemias e as agentes comunitárias de saúde realizam visitas aos imóveis para desenvolver ações educativas e de controle de criadouros. Também são realizadas visitas quinzenais em pontos estratégicos, que são imóveis com grande probabilidade de contribuir para a infestação de Aedes, como por exemplo ferros-velhos, depósitos de sucatas e borracharias. Desde abril, quando foram confirmados os primeiros casos de dengue de 2021, as ações foram reforçadas. No início deste mês, por exemplo, foi realizado um mutirão especial para a campanha “Lajeado Contra a Dengue”. Além disso, foram feitas aplicações de inseticida em pontos estratégicos, localizados em áreas de risco.

Desde o mutirão, as equipes continuam realizando visitas domiciliares aos sábados, dia em que encontram mais moradores em casa. Durante a vistoria, os agentes inspecionam, juntamente com o morador, possíveis criadouros e focos de mosquitos no domicílio, inviabilizando os criadouros existentes, a fim de diminuir a densidade vetorial. Além disso, orientam os moradores quanto à verificação semanal de possíveis criadouros, bem como sobre o uso de proteção individual, como o repelente.

Nesta semana, a moradora do Bairro Jardim do Cedro Marli Bohn (64) recebeu a visita de uma das equipes. “Eu coleto água da chuva, mas os tonéis ficam tampados. Quando eles esvaziam, eu limpo e acumulo água novamente. Eu obedeço o que tem que fazer e o cuidado tem que ser de cada morador”, disse Marli.

A Vigilância Ambiental explica que o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, é um inseto urbano e que 80% dos seus focos encontram-se no ambiente domiciliar. A coordenadora do setor, Catiana Lanius, ressalta que a participação dos moradores é essencial para impedir que o mosquito se prolifere. “Ainda há muita resistência da população em receber as visitas e seguir as orientações dos agentes do município. É necessário, neste momento, uma efetiva atuação da comunidade, reforçando as ações de prevenção ao mosquito Aedes aegypti. Apenas com a conscientização de todos, será possível vencer esta batalha contra o mosquito”, disse Catiana.

Dos 26 casos confirmados de Lajeado, 20 são autóctones (o que significa que o paciente contraiu a doença dentro do próprio município) e 6 importados (que significa que o morador viajou para outro município e retornou com a doença). 

Fique atento aos principais sintomas da dengue:

  • Febre alta, maior que 38,5ºC
  • Dores musculares intensas
  • Dor ao movimentar os olhos
  • Mal estar
  • Falta de apetite
  • Dor de cabeça
  • Manchas vermelhas no corpo.

Se você for um caso suspeito:

  • Procure atendimento médico para avaliar seu caso, encaminhar o exame e ver o melhor tratamento, que geralmente é feito com medicamentos para melhorar os sintomas. A dengue não tem medicação específica.
  • Isole-se em casa para evitar ser picado por mosquitos, já que o mosquito se contamina com o vírus e o mosquito contaminado leva a doença para outras pessoas
  • Dê preferência para o uso de roupas compridas, que evitam a picada
  • Use repelente

Como se proteger e evitar a transmissão:

  • Dê preferência para o uso de roupas compridas, que evitam a picada
  • Use repelente para evitar mosquitos
  • Mantenha fechadas as tampas de vasos sanitários e de ralos pouco usados, como os de áreas de serviço e de lazer, que tenham a possibilidade de acumular água
  • Se for viajar, feche também os ralos dos banheiros e a tampa dos vasos sanitários
  • Mantenha o pátio sempre limpo, jogando fora o que não é utilizado
  • Descarte corretamente recipientes em desuso, que possam acumular água, como: potes, tampinhas de garrafa, folhas, sacolas plásticas, etc.
  • Tampe tonéis, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa acumular água
  • Certifique-se de que as lonas de cobertura de piscina ou caixas d´água, por exemplo, estejam bem esticadas para não haver acúmulo de água
  • Não deixe acumular água nos vasos de plantas
  • Mantenha a bandeja de degelo da geladeira limpa e sem água
  • Se por algum motivo tiver pneus no quintal, mantenha-os secos e abrigue-os em local coberto, ou descarte-os corretamente se não tiverem utilidade
  • Escove bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, vasos de plantas, tonéis, caixas d’água) e mantenha-os sempre limpos
  • Faça o tratamento com cloro na água das piscinas

Para denúncias de focos do mosquito entre em contato com a Vigilância Ambiental pelo fone (51) 3982-1216. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui