Descendente indígena entrega viandas para pessoas de baixa renda em Estrela

"Saí de casa aos 13 anos, passei frio, fome e sofri muita discriminação. Então sei o que passam", diz Valmor Guamerim


0
Foto: Joel Alves

Filho de indígenas da Tribo Guarani, na cidade de Nonoai, no norte do Rio Grande do Sul, Valmor Guamerim (63), conhecido como índio, há dois anos distribui viandas aos seus vizinhos de baixa renda e aos moradores de rua.

Quando Guamerim tinha apenas 13 anos, teve que deixar a casa de seus pais. Passando a morar nas ruas e casas em que trabalhava pela troca de um prato de comida e um lugar para dormir. Durante este tempo passou frio, fome, se sentiu muito sozinho e sofreu muita discriminação por ser índio. “Saí de casa aos 13 anos, passei frio, fome e sofri muita discriminação. Então sei o que passam”, relembra ele.

Para sobreviver escolheu o artesanato e a pintura, talentos oriundos de seus ancestrais. Pintando casas e principalmente fazendo pintura letrista, que é a arte de escrever com tinta nas fachadas de prédios e estabelecimentos comerciais.

Há 21 anos Guamerim mora no Bairro Oriental, em Estrela. Casado e pai de quatro filhos encontrou a felicidade que procurava. “Hoje sou rico! Não posso reclamar de nada, pois já senti na pele muitas coisas ruins”, fala Guamerim sorrindo.

Em 2010, começou a trabalhar na Prefeitura de Estrela como pintor, mas há cinco anos serve como vigilante no Parque Princesa do Vale, no centro do município.

Compadecido com as dificuldades de alguns de seus vizinhos e moradores de rua, há dois anos resolveu fazer junto com a sua esposa, dez viandas e entregarem aos que mais precisavam.

Na pandemia o número passou de dez para 50, e hoje são mais de 60 viandas entregues por eles.

O projeto chamou a atenção da comunidade e alguns apoiadores se juntaram ao movimento. Entre eles supermercados, empresários, voluntários e o Lions de Estrela.

“Quando entrego uma vianda e vejo a alegria no rosto da pessoa, sempre lembro da minha infância difícil, e isso me motiva a não parar”, fala emocionado Valmor Guamerim, o índio.

Texto: Joel Alves

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui