Administração municipal de Paverama pode acionar Ministério Público contra RGE

Este final de semana foi o terceiro seguido em que produtores e a população do Bairro Morro Azul ficaram sem abastecimento


0
Postes podres e tortos podem ser notados em toda a extensão de uma via de Paverama (Foto: Divulgação)

Falta de manutenção na rede e postes antigos, é uma das principais razões das constantes faltas de energia que ocorrem em Paverama. Uma constatação simples do que deve ser feito, mas que com a falta de organização da empresa RGE, parece que não será sanada tão logo. Pensando nisso, o prefeito de Paverama, Fabiano Brandão, pode acionar a empresa no Ministério Público nas próximas semanas. “Temos uma cidade inteira para cuidar, e pensando nisso, e no que está acontecendo, acho que não temos outra alternativa a não ser acionar o Ministério Público. Isso deve ocorrer em breve”, explicou.

Este final de semana foi o terceiro seguido em que produtores e a população do Bairro Morro Azul ficaram sem abastecimento. Juntando às três últimas semanas, foram 96 horas sem o fornecimento de energia por parte da concessionária responsável.

Com o forte calor, a administração municipal precisou alugar um gerador para que os moradores e os animais de pequeno e grande porte não ficassem sem água. O gerador foi instalado na bomba de água que fica localizada no poço de abastecimento de água na localidade de Morro Azul, e serviu para que ao menos a população e os animais ficassem abastecidos de água.

Nos dias 21 e 22 de dezembro (terça e quarta) foram 25 horas sem energia, 24 e 25 de dezembro (sexta e sábado) foram 10 horas, em 2 e 3 de janeiro (domingo e segunda), 28 horas, e neste final de semana, 8 e 9 de janeiro (sábado e domingo), 33 horas sem o fornecimento de energia.

Em Morro Azul, existem pequenos e grandes produtores em diferentes áreas, como criação de porcos, frangos e vacas leiteiras. A maioria tem seus chiqueirões e aviários automatizados (água e ração abastecidas automaticamente), e no caso das vacas leiteiras, o serviço deixou de ser manual a muito tempo, tendo a ordenha mecânica tomado conta da maioria das propriedades.

Eric Von Mülhen possui 20 vacas e tem sua produção estimada em 350 litros de leite por dia. Ele explicou que a perda nestas 96 horas sem luz, deve ultrapassar os R$ 1.500,00, já que a algum tempo adquiriu um gerador de energia que é tocado através do trator, e consequentemente consegue evitar a perda de leite “Já estamos sofrendo tanto com essa seca, e aí acontece essa situação de falta de luz mais uma vez. Dá vontade de desistir de tudo. Não tem como aceitar uma empresa ser tão negligente como é a RGE. Já gastei em diesel o que seria o lucro do mês de trabalho. Mas isso não ficará assim, eles vão responder na Justiça, se depender de mim”, disse o produtor.

Produtores de frangos, Ederson e Elton Bauer possuem uma produção de 80 mil frangos, e estiveram em constante contato com o prefeito Fabiano Brandão ao longo do final de semana. Com quatro aviarios lotados, a preocupação com o forte calor e com a falta de abastecimento de ração e água foi grande. “A temperatura hoje está em 30 graus, e graças a Deus que tem um pouco de vento. Mas imagina uma situação destas acontecendo nesta próxima semana, que está marcando calor de 40 graus, seria uma tragédia e uma perda de muitos frangos, tenho total certeza”, disse Elton Bauer, em um vídeo que será anexado e enviado ao Ministério Público.

Na propriedade, que também trabalha com vacas leiteiras, um vídeo em que a esposa de Ederson, Lúcia Bauer, aparece jogando uma grande quantia de leite estragado fora circulou nos grupos de WhatsApp. “Olha aqui, o resultado da falta de luz do final de semana: 200 litros de leite sendo jogados fora porque está tudo azedo”, diz ela na filmagem.

Além das propriedades citadas, há outras duas propriedades que contam com chiqueirões nas proximidades. As duas funcionam com comedouros e bebedouros automáticos, sendo que quando ocorre a falta de energia, o serviço acaba sendo afetado.

O prefeito Fabiano Brandão já confirmou contato novamente com o deputado estadual Elton Weber para que ele consiga uma reunião com os responsáveis pela empresa na capital gaúcha. “Não altera em nada o procedimento que poderemos adotar quanto ao Ministério Público, mas queremos conversar e explicar para eles a nossa situação. Talvez eles não entendam a importância das pequenas cidades na produção gaúcha”, finalizou Fabiano. AI/CS

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui