Agroindústria associada da Cacis receberá três prêmios da Federasul

Empreendimento familiar será agraciado em duas categorias no 9º Prêmio Vencedores do Agronegócio e ainda receberá o 5º Prêmio Elas no Agro RS, ambas as distinções promovidas pela Federasul


0
Foto: Divulgação

A Agroindústria Familiar Roberto de Oliveira, a Estrelat, de Linha Santa Rita, interior de Estrela, está entre os cases premiados do 9º Prêmio Vencedores do Agronegócio e do 5º Prêmio Elas no Agro RS, promovido pela Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul). O empreendimento familiar é associado à Câmara de Comércio, Indústria e Serviços (Cacis) de Estrela, entidade que intermediou a inscrição dos cases para concorrer aos prêmios.

A agroindústria será agraciada com três distinções. Pelo 9º Prêmio Vencedores do Agronegócio, a Estrelat receberá os prêmios Dentro da Porteira, com o case Agro Tipo A, e Depois da Porteira, com o case Leite por Assinatura. O empreendimento ainda será laureado com o 5º Prêmio Elas no Agro RS, já que a agroindústria é liderada por Eliana Beatriz Lenhard de Oliveira e, por isso, o case foi chamado de Empresária do Campo Tipo A.

Os troféus serão entregues no dia 9 de setembro em cerimônia híbrida. O objetivo dos prêmios é reconhecer instituições públicas, privadas e pessoas físicas que, de forma criativa, inovadora, com estratégia e com resultados concretos, tenham contribuído com o desenvolvimento do agronegócio no Estado e nas suas regiões. O reconhecimento é concedido em cinco categorias (incluindo o Prêmio Elas no Agro) e recebeu a inscrição de 54 cases.

Eliana conta que recebeu a notícia de que a agroindústria foi agraciada quando estava andando de bicicleta na BR-386 e que a emoção foi muito grande. “É muito emocionante. Trabalhamos há anos com o foco de não só produzir o leite, mas, sim, um alimento que vai para mesa de muitas pessoas, ou seja, produzimos visando sempre a qualidade. Então, ganhar nas três categorias entre os 54 cases inscritos, é uma emoção indescritível. Mostra que vale a pena todo o nosso trabalho, enaltece.

A premiação, conforme Eliana, também é uma das formas de tornar a Estrelat ainda mais conhecida. “Que as pessoas possam procurar o nosso produto nos supermercados ou entrar em contato com a gente para a venda direta e conhecer o melhor leite do Estado, que é produzido em Estrela. Um produto saudável, natural e puro. Este prêmio nos motiva ainda mais e que possamos, junto com Estrela e região, nos motivar todos juntos”, frisa.

A participação da Estrelat nas duas premiações promovidas pela Federasul foi intermediada pela Cacis, indo ao encontro de uma proposta da entidade e que deve se efetivar em breve. Em 2021, a diretoria da Cacis retoma um sonho iniciado em gestões anteriores: de agregar o agro à entidade, por meio da criação da pasta do Agronegócio, visando oferecer soluções também para este setor, que tem destacado Estrela na região e no Estado. Isto já despertou na agroindústria familiar o desejo de se associar à Cacis.

E mesmo que a pasta do Agro ainda não tenha sido criada oficialmente, a agroindústria já pode usufruir uma das várias soluções que a entidade pode oferecer. “Oportunizar aos nossos associados a participação em prêmios, como este da Federasul voltado ao agro, é uma das diversas soluções que a entidade oferece. Estamos muito felizes pela participação e pelo reconhecimento da Estrelat neste prêmio, mostrando a força e o empreendedorismo da Estrela ao Estado”, enaltece a presidente da Cacis, Andreia Zwirtes Kich.

A Estrelat

A Estrelat é a única granja leiteira do Vale do Taquari e a segunda no Estado que produz o leite tipo A. Este tipo de leite é considerado puro (sem adição ou retirada de componentes), limpo (contagem de bactérias menor que 10 mil ufc/ml, sendo que na Estrelat tem sido um média menor que 8 mil ufc/ml) e saudável (mantendo todos os nutrientes).

A produção de leite na Granja Lenhard iniciou nos anos 1970, com Pedro Reinoldo Lenhard e Irma Lori Lenhard. Por longo período, a família produzia o leite tipo B. Em 2007, atendendo às novas regras sanitárias, a família investe em uma agroindústria, contemplando a pasteurização e o envase do leite na própria propriedade. Assim nasce a Estrelat, nome fantasia criado pela filha do casal, Eliana Beatriz Lenhard de Oliveira, que coordena as atividades da propriedade junto com seu marido, Roberto de Oliveira.

Em 2011, uma resolução do Ministério da Agricultura retira do mercado o leite tipo B. Com isso, a família precisa tomar uma decisão: produzir leite longa vida, o que não iria requerer investimentos, ou investir na produção do leite tipo A, algo quase desconhecido no Rio Grande do Sul, implicando em mais investimentos.

Como o leite produzido já tinha a contagem de microorganismos inferior a 10 mil ufc/ml e já ocorria a pasteurização e envase do leite dentro da propriedade, aliado ao desejo de continuar oferecendo um produto nobre e diferenciado, a família decide pela produção do leite tipo A. Em 2019 vem a certificação e o selo do Sistema Unificado de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (Susaf), permitindo a comercialização do produto em todo o Estado.

A decisão de investir na produção do leite tipo A, aliado a outros investimentos na propriedade, trouxe inúmeros resultados para a Estrelat. Dentre os resultados, a conquista de novos mercados, aumento do número de clientes na venda direta porta a porta (leite por assinatura) e o incremento de 30% no faturamento da propriedade. “Não comercializamos somente leite, mas, sim, alimento e saúde”, ressalta Eliana. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui