Algumas plantas tóxicas parte 2

Confira o comentário do engenheiro agrônomo Nilo Cortez


0

Só para lembrar este programa é continuidade do apresentado no dia 22/2/21 que está disponível no Said da Independente (colunista).

Prosseguimos com mais alguns grupos de plantas que podem causar problemas para saúde humana e animais domésticos.

Glicosídios:1 “Cardíacos”, é um grupo onde o arbusto conhecido nos jardins como Espirradeira é bem representativo. Pode causar problemas gastrointestinais, cardíacos, distúrbios visuais e neurológicos. Se inclui aí a azaleia, alamanda, dedaleira, oficial –de- sala, Chapéu-de-Napoleão.

2 “Cianogênicos” tem ácido cianídrico, o mais conhecido é a mandioca-brava muito encontrada no passado. Como este ácido é volátil a saída era picar e expor para que ele saísse. Mas, houve intoxicações em pessoas e principalmente em animais. Outras plantas que fazem parte deste grupo, Hortência, sementes e folhas de pessegueiros, sementes de maçã.

3 “Saponinas” a trepadeira Hera é bem representativa suas folhas e frutos pode causar vômitos, diarreias e problemas respiratórios. A seiva em contato com a pele causa dermatite. Outras plantas deste grupo, umbu, tungue, orelha-de-macaco, amor-perfeito e cicas.

 

Alcaloidesal: o arbusto Cartucheira encontrado nas beiras de mato são um dos representantes causa problemas gastrointestinais, hipertermia, taquicardia, alucinação e confusão mental. Pode ser incluída a maria-mole encontrado nos campos, mata-cavalo, romã e pimenta do jardim.

 

Como podem ver a quantidade de plantas que causam problemas e estão muito próximo a nós. Teremos mais programas com outras plantas. Mas, para não se torna cansativo vamos aos poucos.

Fica a preocupação da identificação das plantas que muitas vezes estão nos nossos jardins e propriedades.  Os animais domésticos não sabem ou até por instinto não se aproximam. O descuido no lidar com as plantas sem EPI, luvas e proteção dos olhos e da pele pode causar acidentes. E isto se quer evitar. Também algumas plantas são apontadas como planta de uso “medicinal” e a diferença entre o “remédio” e o “veneno” é a dosagem.

Quantos seguem corretamente as orientações de pesos e medidas? Acredito que poucos.  Das plantas citadas acima por exemplo a Romã tem seu fruto consumido naturalmente, pode ser feito sucos, vinho e ao mesmo tempo é indicada como poderosa antioxidante e outros benefícios. O seu chá tem alcaloides que não devem ser tomadas por crianças, grávidas e em lactação. Com a folha de fumo (nicotina) se faz inseticida alternativo ao mesmo tempo que se faz o cigarro. Fervendo folha de pessegueiro com algumas sementes se faz também inseticidas. Amor-perfeito comido como salada e usada na medicina popular precisa ser dada atenção sempre a dose indicada. Doses mais altas devido a saponina causa náuseas e vômitos e predispõe enxaqueca para quem predisposição. O pessegueiro te tantas alternativas do consumo dos frutos são também indicadas na medicina popular. Por outro lado, seu chá deve ser tomado com acompanhamento médico e na dosagem correta. A semente tem ácidos que se transformam em ácido cianídrico e cianeto (veneno).

Não é pretensão assustar quem queira usar, apenas chamar atenção para que respeitem as orientações. Não vivemos sem água, mas, podemos morrer afogado. Só depende da quantidade dizia a minha mãe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui