Algumas plantas tóxicas

Confira o comentário do engenheiro agrônomo Nilo Cortez.


0
Mamona (Foto: Divulgação)

Seguidamente circulam perguntas sobre plantas tóxicas cultivadas em apartamentos, casas em fim domesticamente.

A Secretaria da Saúde através do Centro de Informação Toxicológica- CIT, faz o acompanhamento dos diversos casos de intoxicação no RS. Animais peçonhentos, animais de estimação, agrotóxicos, plantas, fungos, medicamentos e outros.

São considerados plantas tóxicas aquelas que se forem comidas, inaladas (aspiradas), e tocadas causam problemas para humanos ou animais.

Os dados de 2019 disponíveis informam 297 casos com plantas sendo 161 masculinos e 136 femininos. E chama mais atenção a faixa de idade dos que tiveram problemas. Com até um ano de idade 16; de 1 a 4 anos 92; de 5 a 9 anos 52 casos, e os demais daí para cima. Também foram relatados 54 casos com animais. Claro que não se sabe quantos não chegaram ao conhecimento para serem informados.

Como são várias plantas envolvidas vamos abordar algumas neste comentário e posteriormente outras. E para facilitar vamos dividir em grupos parecidos.

– Coroa-de-Cristo, e plantas com “leite branco- látex” precisam ser olhadas com cuidado. Ele pode causar queimadura, desencadear alergias, se atingir os olhos pode causar conjuntivite, queimar a retina e causar a cegueira. A representante bem conhecida é a coroa-de-cristo que ainda tem espinhos para causar danos. Quando ingerida pode causar vômitos, diarreia e forte mal-estar. Outras plantas deste grupo: figueira, mamão, flor-de-Natal… pequenas agroindústrias que trabalham com figo e mamão verde só com EPI.

– Mamona, outra planta bem conhecida é encontrada em terrenos baldios. Quando criança brincava de guerra para grudar na roupa. O seu veneno está na semente “Ricina”. Se a comida causa náuseas, vômitos, diarreia e fortes problemas intestinais. Outra planta deste grupo é o pinhão-de-purga.

 

– Comigo ninguém pode ser a campeã de intoxicação aqui no estado. O cristal de oxalato-de-cálcio tem pontas afiadas como agulhas. Se a planta for comida ou apenas mastigados causam queimação na boca, incha os lábios, boca e língua. Quem tem alergia pode fechar a glote e vai exigir socorro imediato. Outras plantas que fazem parte deste grupo são, copo-de-leite, costela-de-Adão, lírio-da-paz, begônia e espada de São Jorge.

Podemos alertar quem vai lidar com estas plantas usando sempre EPI luvas, óculos, camisa manga comprida e chapéu. Proteção é fundamental para evitar problemas. Outra é atenção com crianças e animais. Colocar fora de alcance ou não cultivar. Também deve-se ter cuidado com os restos de podas. Precisam ser enterradas ou em compostagem cobrir logo para não ficar exposto. Se for para ser recolhido como lixo colocar em caixa ou saco fechado para o gari não se acidentar.

Em caso de acidente procurar médico e levar parte da planta para garantir a identificação. O CIT- Centro de Identificação Toxicológica tem atendimento 24 horas pelo telefone 0800 721 3000. Já ajudaram e salvaram muita gente, guarde este número.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui