Alternativa à concessão: prefeito de Cruzeiro do Sul cogita construir desvios ao pedágio da RSC-453

"Não fazendo dentro da área do Daer, não tem problema. Vamos utilizar rodovias que já existem e dar continuidade", diz João Dullius


0
João Dullius, presidente do G8 e prefeito de Cruzeiro do Sul (Foto: Rodrigo Gallas)

O prefeito de Cruzeiro do Sul, João Dullius cogita construir desvios ao pedágio da RSC-453, caso ele permaneça onde está. “Não fazendo dentro da área do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagens (Daer), não tem problema. Vamos utilizar rodovias que já existem e dar continuidade”, diz. A iniciativa é projetada como alternativa à concessão das rodovias Estaduais do Vale do Taquari, que causa insatisfação à comunidade cruzeirense.

 

A praça está instalada no km 19 da rodovia há 23 anos e é administrada pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). Moradores e o Poder Público Municipal reivindicam que, com a futura concessão, a estrutura seja tirada deste ponto. Para eles, a praça divide o município, impede o progresso em termos econômicos e dificulta a vida de quem mora nas proximidades. “Pela negociação que estamos tendo com o governo, acreditamos que não vão tirar o pedágio de onde está”, lamenta Dullius.

Nas últimas semanas, a comunidade do município tem realizado manifestações, de forma pacífica, contra a praça de pedágio, na RSC-453. Nos atos, são instaladas faixas e folders são entregues para sensibilizar os demais motoristas que passam pelo local.

Leia também

Mais motivos de insatisfação 

Os investimentos na rodovia vão ocorrer a partir dos 20 anos de concessão e o valor na cancela aumentará de R$ 6,30 para R$ 9,15. Somados aos 23 anos em que a praça já está no município, serão 43 anos sem investimentos. “Até lá muitos de nós nem estarão mais aqui”, comenta.

O chefe do Executivo cruzeirense lembra que os moradores das redondezas da praça tinham isenção ao passar pela cancela, mas com este novo modelo o benefício foi perdido.

O prefeito diz que o Grupo Técnico do governo, responsável pelo projeto de investimentos nas rodovias, não enxergou as 15 cruzes de vidas que foram ceifadas no entroncamento da rua Frederico Germano Haenssgen com a Rodovia RSC-453.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Cruzeiro do Sul, Marcos Antônio Hinrichsen, participou da segunda parte da entrevista. Ouça no player acima.

Texto: Rodrigo Gallas
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui