Ampliação do Frigorífico de Aves da Languiru cumpre normativas ambientais

Nova infraestrutura para lançamento de efluente e de estação de tratamento recebe investimento de R$ 8,5 milhões.


0
Ampliação do abate e o consequente aumento na vazão de efluentes no Frigorífico de Aves requereu a ampliação da estação de tratamento (ETE) (Foto: Uiliam Porsche)

A Languiru segue com as obras de ampliação do Frigorífico de Aves, instalado no município de Westfália. Ao todo, serão cerca de R$ 60 milhões em investimentos, possibilitando que o abate da unidade seja duplicado nos próximos anos.

Uma das etapas concluídas no mês de abril atende normativas ambientais no que se refere ao lançamento de efluente no Arroio Boa Vista. Por meio de laudo hidrológico e seguindo rigorosamente o acordado com a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) – órgão responsável pelo licenciamento ambiental no Rio Grande do Sul –, foi necessário trabalhar com outro ponto de lançamento de efluentes.

Início das operações

Novo sistema de tubulação, com cerca de quatro quilômetros de extensão, entrou em operação em abril. A elevatória e as bombas estão instaladas junto à Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) do Frigorífico de Aves. “Antes, o efluente era lançado no Arroio Schmidt, em Westfália. A alteração permite que o efluente seja lançado em recurso hídrico que suporta a nova carga e vazão, de acordo com normativas ambientais”, explica Feldkircher.

Prefeitura de Westfália auxiliou com horas/máquina em serviços de terraplanagem, transporte de terra, abertura de valos e similares (Foto: Paloma Driemeyer Valandro)

Projeto

Esse projeto soma cerca de R$ 3 milhões em investimentos. “Foram realizadas avaliações de diferentes alternativas, considerando o traçado para transporte do efluente após o tratamento na ETE do frigorífico até o Arroio Boa Vista.

A obra contribui de forma direta na manutenção da qualidade ambiental do Arroio Schmidt, evitando que fosse sobrecarregado a partir da ampliação da unidade fabril. Além disso, a Languiru também investiu na ampliação da planta de tratamento de efluentes do frigorífico”, acrescenta o engenheiro ambiental da cooperativa.

Também está prevista avaliação de reuso do efluente tratado, reduzindo o volume direcionado ao recurso hídrico. “Ele pode ser utilizado para fins menos nobres no frigorífico, como lavagem de caminhões, ajardinamento e higienização fora do processo produtivo”, acrescenta Feldkircher.

Nova Estação de Tratamento de Efluentes

Foto: Tiago Feldkircher

A ampliação do abate e o consequente aumento na vazão de efluentes no Frigorífico de Aves também requereu a ampliação da estação de tratamento (ETE), com investimento de aproximadamente R$ 5,5 milhões. Aprovada pela Fepam, a obra iniciou em agosto de 2019.

Com fases distintas, a primeira etapa de operação ocorreu no mês de abril, seguindo cronograma alinhado com o órgão ambiental. “Algumas estruturas da ETE existente foram mantidas ou serão remanejadas, com outra função no sistema de tratamento. Também foi necessário realizar ampliações, aquisição de novos equipamentos e a construção de novas estruturas”, destaca Feldkircher, mencionando nova peneira e sistemas de agitação, lagoas de aeração, decantador e sistema para desidratação do lodo.

Tecnologia

No processo de lodo ativado das lagoas de aeração, a cooperativa utiliza sistema moderno de membranas difusoras. O ar é injetado por meio de pequenas membranas perfuradas e instaladas no fundo da lagoa que, com o auxílio de sopradores, garante a demanda de oxigênio necessária para degradação da matéria orgânica do efluente. Destaque também para a construção de um decantador com 25m de diâmetro e cerca de 6m de altura.

“Todas as melhorias visam atender à legislação ambiental e estão determinadas na licença de operação do frigorífico. A infraestrutura possibilita tratar cerca de 5.000m³/dia de efluente”, resume o engenheiro ambiental da Languiru. Todo processo tem sido acompanhado e aprovado pelo órgão ambiental, com vistorias realizadas durante a obra por técnicos da Fepam.

O presidente Dirceu Bayer explica que a ampliação da unidade atende necessidades do agronegócio e beneficia a comunidade local e de municípios vizinhos. “Com a ampliação no Frigorífico de Aves, teremos a possibilidade de esgotar a capacidade produtiva da indústria, diluindo o custo de produção em termos de mão-de-obra e infraestrutura, além de ampliar nossa integração de aves nas propriedades rurais dos associados”, resume.

Apoio da prefeitura

O abatedouro da Languiru é a maior empresa do município de Westfália e, consciente da representatividade econômica e social do negócio para a cidade, a Administração Municipal concedeu auxílio à cooperativa, com incentivo no valor total de 1.300 horas/máquina.

“O Frigorífico de Aves da Languiru é a empresa que mais dá retorno ao Município. Sua ampliação é de suma importância, fomentando o desenvolvimento econômico e social. Desde setembro de 2019 os serviços de máquina foram intensificados no empreendimento, especialmente na região dos efluentes e na instalação da tubulação que direciona a água ao Arroio Boa Vista”, comenta o prefeito Otávio Landmeier.

A Municipalidade executou serviços de terraplanagem e transporte de terra, abertura de valos e similares. A construção do decantador e das lagoas também teve auxílio da prefeitura na terraplanagem. Merece destaque a parceria e o trabalho em conjunto entre a área técnica da Cooperativa Languiru e a Secretaria Municipal de Obras, Viação e Interior, liderada pelo secretário Paulo Bagatini. AI / GH

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui