Amturvales quer ordenar turismo na Ferrovia do Trigo que abrange municípios da região

Empresa será contratada para controlar fluxo de pessoas que circulam, especialmente, nos trilhos.


0
Foto;Divulgação

A Associação dos Municípios de Turismo da Região dos Vales (Amturvales) está preocupada com o aumento do número de turistas que têm circulando pelos trilhos e túneis da Ferrovia do Trigo, nos municípios de Muçum, Vespasiano Corrêa, Dois Lajeados e Guaporé. Nesta quarta-feira (1º), uma reunião entre os prefeitos destas quatro cidades; o presidente da Amturvales, Leandro Arenhart, e o coordenador do projeto Trem dos Vales, Rafael Fontana, discutiu o assunto. Uma empresa de Nova Petrópolis, a Nomas – Descobrir é Preciso – será contratada para fazer o regramento

nas visitações. Conforme Arenhart, houve um aumento na presença de turistas em trechos ao longo da ferrovia. “Nos preocupa porque é um turismo desordenado,

muitas pessoas caminhando nos trilhos. Além disso, ainda estamos em pandemia. As pessoas deveriam se sensibilizar e evitar aglomerações”, destaca. Com a volta dos passeios do Trem dos Vales, previstos a partir de outubro, o presidente da Amturvales acredita que o movimento deve aumentar ainda mais, em função da divulgação do trajeto que será feita nos próximos meses. “Muitos grupos de agências de fora estão visitando a ferrovia, mas as pessoas não sabem o que pode, e o que não pode. Queremos regrar essa questão da segurança.

É um local único no Estado, é lindo, tem uma natureza exuberante, mas temos que ter cautela”, reforça. Na reunião de ontem, o representante da Nomas, Luis Marcelo Rodrigues, que é auditor técnico especialista da ABNT em Sistemas de Gestão da Segurança para o Turismo de Aventura, esteve presente. A Nomas elaborou um Termo de Referência Técnica, considerando a periculosidade de pessoas circulando sobre os trilhos, viadutos e dentro dos túneis.

Conforme o termo, o turismo desordenado coloca em risco, não somente vidas humanas, mas também a implementação do Trem Turístico. Por isso, a empresa prevê a capacitação de profissionais locais envolvidos com o setor, para atuarem como fiscalizadores e criar regras e protocolos para que agências, operadoras, guias e condutores estejam em conformidade com a ABNT NBR ISO 21101 – Sistemas de Gestão de Segurança e Normas de Turismo de Aventura. Por meio de capacitações, estes profissionais locais terão prioridade para atuar. A Amturvales poderá ser a

instituição controladora das regras implantadas, prevendo-se que operadoras, agências e guias de fora terão que contratar mão de obra local. Para o presidente da Amturvales, este trabalho deve proporcionar segurança ao local e, principalmente, aos turistas. “Teremos guias credenciados, autorizados, qualificados e treinados para fazer trilhas e passeios a pé, de carro, van, jipe, com todas as orientações. A Nomas já

realizou trabalhos em parques nacionais, o que credencia a empresa a fazer um bom trabalho na nossa ferrovia também”, salienta Arenhart. AI/RC

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui