Mulher é conduzida à DP após divulgar blitz da BM em grupos de celular, em Teutônia

Guarnições identificaram a suspeita nas proximidades do local saindo de um bar


1
Foto: Pexesl / Reprodução

Na manhã desta quinta-feira (16), durante barreira policial realizada pela Brigada Militar (BM), na Rua Ernani Júlio Sippel, no Bairro Canabarro, chegou ao conhecimento das guarnições de serviço, inclusive com prints das mensagens, que um grupo de WhatsApp estava sendo utilizado para divulgação de barreiras policiais. A suspeita era uma mulher que teria alertado sobre operação.

As guarnições identificaram a suspeita nas proximidades do local saindo de um bar. Indagada sobre a publicação, a autora, de 32 anos, admitiu que fez a postagem no grupo. Diante dos fatos, ela foi encaminhada à Delegacia de Polícia de Teutônia, onde foi lavrado registro, sendo apreendido seu telefone celular. Ela já tinha antecedentes criminais por ameaça e injúria.

A BM monitora e, inclusive, tem recebido denúncias de pessoas que divulgam barreiras policiais em grupos de WhatsApp. Tal fato, além de atrapalhar nas investigações, apreensões de drogas, armas e prisões de foragidos, constitui em crime com pena de até cinco anos de reclusão. CC

1 comentário

  1. O que ela fez, foi um ato imoral. Não criminal. Barreiras policiais são esporádicas, e, não, utilidade pública. Conforme o art. 265 do Código Penal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui