Amvat solicita flexibilização para esportes e festas familiares no Vale do Taquari

Documento está sob análise no Comitê de Crise do Distanciamento Controlado.


0
No Vale do Taquari, apenas Arroio do Meio tem liberação da Prefeitura para os esportes coletivos (Foto: Pixabay)

A partir de posição unânime dos 36 prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), a entidade encaminhou, ao governo do Rio Grande do Sul, solicitação para flexibilizar os esportes coletivos e as festas familiares na região. O documento foi enviado na quarta-feira (9), junto de protocolos sanitários, e está sob análise do Comitê de Crise do Distanciamento Controlado.


OUÇA A ENTREVISTA


Reunidos em assembleia no dia 3 de setembro, em Estrela, os prefeitos decidiram debater a possibilidade de flexibilização das regras com o governo gaúcho. Foi, assim, elaborada a “Proposta para alteração de normas com a liberação de festas familiares e esportes no âmbito da Amvat”. Nas sete páginas a entidade explica a ideia e trata de protocolos de segurança. Quem assina é o presidente Celso Kaplan.

Kaplan, que também é prefeito de Imigrante, lembra que “tivemos vários municípios se manifestando a respeito. Sabemos da responsabilidade em flexibilizar as atividades, mas temos de ter regras e as regras precisam ser respeitadas”. A mudança solicitada não tem ligação com a cogestão do Distanciamento Controlado, através da qual, mediante aprovação do Estado, a região mudou quatro de 11 indicadores. A principal alteração conquistada foi a abertura do comércio em bandeira vermelha.

Como o Distanciamento não prevê a liberação de esportes coletivos e festas familiares a Amvat teve de encaminhar uma nova solicitação. Kaplan acredita que, se aceito, o plano poderá ser estendido para todo o Rio Grande do Sul. Ele entende que a pandemia ainda se faz presente, mas que a economia dos dois setores foi muito afetada pela doença. “Sabemos que não vão sobreviver mais alguns meses se não houverem mudanças. Depois de seis meses nós temos que ter alguma flexibilização”.

Entre os argumentos da Amvat para a flexibilização dos dois setores está a estabilidade da doença e a capacidade de atendimento com estrutura hospitalar na região de Lajeado no Distanciamento e na macrorregião dos Vales, composta por Cachoeira do Sul, Lajeado e Santa Cruz do Sul – indicadores que são avaliados para a definição das bandeiras, todas as semanas, pelo governo do Rio Grande do Sul.

Tanto nos esportes quanto nas festas familiares deverão ser respeitadas regras definidas pelo Ministério da Saúde, como uso obrigatório de máscara, disponibilização de álcool gel, distanciamento e controle prévio da temperatura corpórea. Havendo diagnóstico de caso positivo para a Covid-19, relacionado ao encontro, o setor de Vigilância Epidemiológica do município acompanhará todas as pessoas que participaram da festa.

Será responsabilidade do técnico da saúde que assina o documento de comunicação do evento a manutenção do distanciamento com a proibição de qualquer tipo de dança ou atividades com contato próximo.

Esporte

O plano da Amvat define como esportes as atividades em clubes, salões, ginásios e comunidades. Será válido apenas para os munícipes, sem intercâmbio. Campeonatos e eventos estão vetados. Os participantes têm as seguintes obrigações:

– Respeitar as regras de distanciamento controlado e higienização já previstas, como a utilização obrigatória de máscaras nos ambientes de circulação;

– Disponibilização de álcool gel para higienização dos frequentadores, higienização dos equipamentos de uso comum como banheiros, vestiários, mesas, cadeiras, equipamentos esportivos e todo e qualquer tipo de material ou utensílio utilizado por seus frequentadores;

– Restringir as atividades para as práticas amadoras, sem comparecimento de público, podendo seus frequentadores, assim que terminarem as atividades desportivas, permanecerem no local pelo período de até uma hora, cuja finalidade de fato evitaria a aglomeração de pessoas no local;

– Vedada a participação de menores de 16 anos nas práticas esportivas, bem como de pessoas integrantes do grupo de risco ou com algum tipo de comorbidade;

– Atividades esportivas deverão ter caráter recreativo, restritas aos atletas integrados à comunidade local, sendo vedada a abertura de novos horários durante o período da pandemia para atletas que assim não se enquadrarem, sob pena de responsabilização administrativa, cível e criminal.

Festas familiares

No texto estão definidas por festas familiares os eventos a serem realizados para comemorações restritas a grupos de famílias e amigos próximos, como batizados, primeira comunhão/confirmação, aniversários, formaturas e casamentos, entre outros. Neste caso o protocolo de obrigações é mais extenso e complexo.

– O número de pessoas está definido por 50% do previsto no Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) do estabelecimento, até um limite máximo de 150 pessoas, com obrigatoriedade de lista de presenças;

– Cada local de evento deverá estar previamente aprovado pelo COE Municipal. Deverá o realizador disponibilizar a presença de responsável técnico no local (enfermeiro, técnico de enfermagem, técnico de segurança do trabalho ou outro profissional da área da saúde), com registro ativo em seu conselho de classe, que assine pelas medidas adotadas, assumindo a corresponsabilidade de eventuais irregularidades;

– O horário para a marcação das festas ficará limitado ao período de 11h até as 1h;

– Deve ser respeitado distanciamento mínimo de um metro entre as pessoas, mediante uso obrigatório de máscara, e de quatro metros quadrados por pessoa. Por exemplo, para uma área de 32m, seriam permitidas oito pessoas no máximo, com o uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI);

– O ambiente deverá ser higienizado após cada uso, durante o período de funcionamento e sempre quando iniciadas as atividades, das superfícies de toque (terminais de autoatendimento, corrimão de escadas e de acessos, maçanetas, interruptores, paredes internas e botões de elevadores, telefones, balcões, mesas, teclados, poltronas/cadeiras, portas de vidro e demais artigos e equipamentos que possam ser de uso compartilhado e/ou coletivo);

– A limpeza terá de ser feita com álcool 70% dos equipamentos de pagamento eletrônico (máquinas de cartão de crédito e débito) após cada utilização;

– Banheiros deverão ser limpos a cada 30 minuto. Deve haver uma equipe de higienização;

– Os locais devem ter assentos marcados com o distanciamento permitido. Ocupação média aconselhada de quatro pessoas por mesa (ex.: mesa redonda, 1,5m de diâmetro),respeitando o distanciamento de no mínimo 1m entre as pessoas de diferentes grupos familiares e/ou convívio. Mesas maiores deverão observar a mesma regra de distanciamento;

– A entrada será com tapetes de higienização para os pés.

– Vetada a entrada de quem for detectado com temperatura alta (37,8º ou mais) ou que estiver apresentando sintomas gripais;

– O bufê deve ser servido por uma pessoa contratada ou fornecer luvas para cada usuário;

– Cada evento realizado no município deve ser protocolado na Prefeitura, em formulário padrão fornecido no setor da Vigilância Sanitária.

A Amvat aguarda resposta do Estado, o que não tem data prevista para acontecer. No Vale do Taquari, apenas Arroio do Meio tem liberação da Prefeitura para os esportes coletivos. Contudo, não há permissão expressa do governo para a atividade.

Texto: Natalia Ribeiro
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui