Aos três anos, menina descobre tumor na cabeça e família busca ajuda para custear tratamento

Mikaella da Costa deve passar por um novo procedimento cirúrgico nesta quinta-feira (2)


0
Foto: Arquivo pessoal / Divulgação

Uma família moradora do Bairro São José, em Estrela, está correndo contra o tempo para realizar o tratamento de Mikaella da Costa, de apenas 3 anos. Nos últimos dias, a menina foi diagnosticada com um tumor no cérebro. O pai, Lucas Rodrigues do Nascimento, deixou o trabalho em Lajeado para acompanhar a filha, que está internada no Hospital Conceição, em Porto Alegre.


ouça a reportagem

 


Segundo ele, a criança começou a apresentar os primeiros sinais de enjoo e vômito no início do mês de agosto e o diagnóstico da doença veio dias depois. A família procurou ajuda na UPA e recebeu medicamentos para tratar o enjoo. “Começamos a medicar em casa, mas ela voltou a passar mal, aí procuramos o PA de Estrela. Eles então encaminharam a Mikaella para o hospital, onde ela deu entrada como anêmica e com infecção no intestino”, explica.

Conforme o pai, a menina chegou a ser liberada da unidade de saúde mas, já em casa,
voltou a sentir enjoos e dor de cabeça. “Nós então voltamos ao hospital mais uma vez. As equipes começaram a fazer um outro tratamento, que também não ajudava. No último dia, quando minha irmã estava de acompanhante, ela teve uma parada cardiorrespiratória e quase uma parada cerebral, pois o tumor já estava afetando a respiração dela”, lembra.

Depois de um dia de buscas, a família conseguiu um leito no Hospital Conceição, em Porto Alegre, onde a criança permanece internada. Mikaella já passou por um procedimento cirúrgico para retirar parte do tumor e deve realizar uma nova cirurgia nesta quinta-feira (2). “A primeira cirurgia que fizeram deu 25 pontos na cabeça. Ela ficou bem traumatizada por causa do cabelo. Agora, estavam esperando ela se recuperar para realizarem a outra. Os médicos estão estudando se conseguem fazer a cura com laser, pra não precisar abrir a cabeça dela de novo e não machucar mais”, afirma o pai.

Como Lucas teve que deixar o trabalho para acompanhar o tratamento da filha na capital, a família criou uma campanha na internet, buscando doações. O valor estipulado inicialmente era de R$ 2 mil. No entanto, até esta quarta-feira (1), já havia sido arrecadado R$ 2.930. “Os gastos são altos. Como eu parei de trabalhar, a gente fez a Vakinha para a sobrevivência aqui em Porto Alegre. O albergue que o hospital tinha não está mais aberto em razão da pandemia. Então alugamos uma pousada com algumas freiras e estamos tendo estes gastos, além dos remédios e da alimentação”, relata.

Interessados podem ajudar por meio do site www.vakinha.com.br/vaquinha/todos-pela-a-mikaella. Um evento está previsto nos próximos dias, em Bom Retiro do Sul, para arrecadar doações em prol do tratamento de Mikaella.

Dois estabelecimentos de Estrela também estão mobilizados pela causa. Entre os dias 7 e 11 de setembro, a Trippy Estúdio de Tatuagem irá realizar tatuagens rápidas, com valor de R$ 70 a R$ 150, sendo que 20% da quantia arrecadada será destinada para a criança. Além disso, no mesmo período, a Barbearia Sulzbach também irá repassar 20% do valor dos cortes realizados.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui