Apesar de mobilização, poucas lojas abrem neste sábado em Lajeado

Fiscalização orientou, sem confrontos, os comerciantes que optaram em abrir as portas


1
Loja Mondê abriu em forma de protesto (Foto: Divulgação)

A maioria do comércio considerado não essencial no decreto do Estado esteve de portas fechadas na manhã deste sábado (27). Mesmo após ampla divulgação em grupos de WhatsApp, formados por comerciantes de Lajeado de que abririam, a maioria decidiu por não abrir. Por volta das 9h, apenas três lojas estavam abertas na Júlio de Castilhos, conforme verificado pela equipe de reportagem da Rádio Independente. Conforme a Secretaria de Segurança de Lajeado, os fiscais fizeram verificações nos bairros Centro, Florestal, Americano, São Cristóvão, Montanha e Conventos. Entre às 8h30 e 11h50, nove estabelecimentos foram autuados.

Por outro lado, alguns estabelecimentos abriram as portas em forma de protesto contra o decreto com vigência até o dia 4 de abril, que permite a volta da cogestão regional, mas o comércio não essencial só pode trabalhar de forma presencial de segunda a sexta.

O proprietário da Loja Mondê, Fabrício Leonhardt, optou em abrir o estabelecimento. O comércio fica na Julio de Castilhos, no Centro de Lajeado. “Abrimos em forma de protesto, porque acreditamos que não somos os propagadores do vírus. Acreditamos também que nosso trabalho é essencial assim como os outros. Queremos o direito de poder trabalhar, de levar o sustento para as nossas famílias e de continuar empregando funcionários”, explica.

Para o presidente do Sindilojas, Francisco Weimer dos Santos, o Kiko Weimer, o momento é de muita preocupação, em especial com o período de Páscoa que se aproxima e, mais uma vez, com o comércio fechado. “Não tivemos Páscoa no ano passado e não teremos de novo. Já as aglomerações continuam em outros locais. Quanto menos estabelecimentos abertos, mais aglomerações ocorrerão nos locais que podem abrir, porque as pessoas vão querer comprar alguma lembrancinha de Páscoa”, explica.

Fiscalização

Na manhã deste sábado, o trânsito na Julio de Castilhos e parte das transversais, no Centro de Lajeado, foram isolados por cones e faixas para evitar a circulação de veículos. A movimentação foi acompanhada desde cedo pelos fiscais de trânsito do município, Brigada Militar e membros do setor fiscalização da prefeitura. Conforme um dos servidores, o objetivo é orientar, registrar e notificar os estabelecimentos que decidiram agir de forma contrária ao decreto estadual. “Não haverá confronto”, disse.

Segundo o secretário de Segurança Pública de Lajeado, Paulo Locatelli, tanto na questão das lojas quanto na manifestação dos empresários do ramo de restaurantes e bares, que promoveram um protesto pela abertura dos estabelecimentos, tudo ocorreu de forma tranquila. “Não teve nenhuma situação de confronto ou estresse. Além das equipes de trânsito e fiscalização, tivemos o apoio da Brigada Militar e Polícia Civil. Nenhuma ocorrência foi informada”, afirma.

Texto: Rita de Cássia
redacao@independente.com.br

1 comentário

  1. A OMS já afirmou que o Lockdown não segura o vírus, é só olhar no site oficial da organização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui