Após 23 dias fechados, há estabelecimentos encerrando atividades e funcionários sendo demitidos, relata presidente da CDL Lajeado

Aquiles Mallmann, o Cascão, cita falta de 'fôlego' para suportar a crise. Reflexos devem impactar nos próximos dois meses


10
Aquiles Mallmann, presidente da CDL Lajeado (Foto: Jonas de Siqueira)

Após 23 dias fechados devido à Bandeira Preta imposta pelo Governo do Estado, sem possibilidade de cogestão, há estabelecimentos encerrando atividades e funcionários sendo demitidos, relata o presidente da CDL Lajeado, Aquiles Mallmann, o Cascão. “Novamente estamos com um prejuízo enorme. Na Av. Júlio de Castilhos quatro lojas fecharam. Três ou quatro restaurantes/lancherias também estão fechando. Micro e pequenos empreendedores estão desesperados”, conta o gestor dos lojistas ao citar falta de ‘fôlego’ para suportar a crise.


ouça a entrevista

 


 

“Afastamento de pessoas estão acontecendo, o que ainda vai continuar por, pelo menos, um ou dois meses pra frente. [..] Se a economia não retomar do jeito que esperamos, vão ocorrer mais demissões. Ocorrerão migrações de lojas”, lamenta. O impacto do comércio fechado pela segunda vez foi “muito grande”, segundo Mallmann, porque o último ano já foi de dificuldades.

Em Lajeado, o setor representa de 63% a 65% da arrecadação do município em impostos. “É um impacto enorme na economia do município.”

Cascão critica a falta de preparo no sistema de saúde estadual. “Em março de 2020, o discurso quando fechamos era: ‘fique em casa para preparar o sistema de saúde.’ Neste ano, no mesmo mês o lema é: ‘fique em casa, porque o sistema colapsou.'”


Retorno das atividades

O Tribunal de Justiça (TJ-RS), por meio de decisão do desembargador Marco Aurélio Heinz, acolheu a argumentação da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e suspendeu, na tarde deste domingo (21), decisão liminar de primeiro grau que impedia a aplicação da cogestão regional do modelo de Distanciamento Controlado. Desta forma, os estabelecimentos comerciais, considerados não essenciais podem retornar com suas atividades, a partir deste segunda-feira (22), com restrições de funcionamento.

“O consumidor poderá ir ao comércio com uma tranquilidade imensa”, garante Cascão, ao relatar os cuidados tomados pelos lojistas para evitar a disseminação do coronavírus. O presidente da CDL Lajeado informa que todos deverão usar máscara, haverá disponibilização de álcool gel, os locais serão higienizados constantemente, uma pessoa poderá permanecer dentro do estabelecimento a cada oito metros quadrados.

Cascão diz que a CDL irá investir forte em ações para alavancar o comércio. Serão feitas promoções em todas as datas comemorativas possíveis.


Páscoa Premiada: sorteio de ovo de chocolate de 70 kg

A CDL Lajeado acompanha os desafios enfrentados pelas empresas para manterem seus negócios na pandemia. Por isso, intensifica a busca por alternativas que reduzam os impactos aos estabelecimentos e identifica na Páscoa uma oportunidade. A campanha deste ano tem como foco a valorização e incentivo ao consumo local.

Denominada Páscoa Premiada, a promoção ocorre de 22 de março a 10 de abril e distribuirá cupons a cada compra de valor igual ou superior a R$ 80,00, os quais concorrerão ao sorteio, no dia 10 de abril, de um ovo de chocolate de 70kg da Cacau Show. Participam da campanha as empresas associadas da entidade que aderiram ao Lajeado Brilha 2020, as quais estão identificadas com cartazes da promoção.

A Páscoa Premiada conta com o patrocínio da Cacau Show e o apoio do Grupo Independente.

Texto: Rodrigo Gallas
web@independente.com.br

10 Comentários

  1. Em breve veremos a Júlio tomada por lojas xing ling, podem esperar… para bons entendedores não preciso falar mais nada.

    • Hipócrita é você! Hospitais, segurança, remédios, vacinas entre outros são mantidos por valores de impostos, que vem do comercio e indústria, para eles e demite os funcionários pra ver da onde que vai vir o dinheiro, vocês acham que tudo cai do céu???
      “há, mas precisamos parar o vírus” se o governo do estado tivesse começado a segurar as aglomerações desde o inicio do ano quando surgiu a variante do amazonas nada disso tinha acontecido! É comprovado por estudos que não são os comércios nem as industrias que disseminam o vírus, então vamos parar de hipocrisia e vamos deixar o povo trabalhar! NÃO É SÓ O VIRUS QUE MATA!

  2. Grande Cascão, é isso ai, quero ver manter a máquina estatal sem arrecadação. Bando de burocratas. Coloquem na conta do (des)governador.

  3. Sugiro que cada loja cuide, também, da fila dos seus clientes que estão aguardando entrar no estabelecimento. Neste local o distanciamento não é respeitado e, não raras vezes, o uso de máscaras também não. Só colocam quando irão entrar na loja. O distanciamento e o uso da máscara tem que ser constante… senão é um faz de conta que estamos cumprindo as regras… e é tudo o que o Corona Vírus quer…

    • Se as pessoas por elas mesmas não se cuidam usando máscara e não respeitam o distanciamento, aí a culpa não é da loja. Cada um tem que fazer sua parte tbm né?

  4. Parabéns pela matéria. Sou comerciante também, em Colinas, estamos todos nesta delicadíssima situação. Sabemos da circulação de pessoas( aqui no município não é o caso) mas em circular estamos sujeitos à contaminação. Só não concordo com o rótulo que o comércio carrega, de disseminador. As indústrias não param os super mercados sempre lotados. Os cuidados que tem nestes locais é o mesmo que há no comércio, sem falar que a circulação e aglomeração no comércio que esteve fechado é muito inferior. Não podemos mais pagar esta conta. Fizemos a nossa parte com os cuidados e continuaremos a fazer, tomando todos os cuidados. Assim como temos que ter em qualquer saída de casa.
    Foi um ano e não sabemos o que aconteceu dentro do sistema de saúde, que não houve avanço. Mas é falado tanto, em tantos municípios sobre tratamento precoce, sobre agilidade nos testes, a fim de evitar o colapso, internações e óbitos. Ahhhhh mas não tem comprovação científica,
    ….mas temos excelentes médicos com anos e anos de experiência fazendo o apelo ao tratamento precoce. Esta é minha opinião. E desejo a todos os comerciantes saúde, ânimo, fôlego, e persistência.

  5. A Saude no Brasil se tornou politica, cofbre de seu vereador,prefeito e governador, a federação mandou 6 BILHOES ao Rio Grande do Sul, opetaram por colocar o salario do funcionalismo publico em dia ao inves de aplicar na saude , portanto cobrem daqueles que estao contra o povo, daqueles que falam mal da federação. Lembrando que o judiciario ira ganha ao mes ajuda saude que ira variar R$ 2.500,00 ate R$ 3.700,00 ao mes, de vira este dinheiro uma vez que nao esta no orcamento do governo estadual ???

  6. Se as pessoas por elas mesmas não se cuidam usando máscara e não respeitam o distanciamento, aí a culpa não é da loja. Cada um tem que fazer sua parte tbm né?

  7. Oportunista e sem culhão….Se tivesse culhão tinha mobilizado o comercio a abrir mesmo com o decreto, queria ver ter efetivo para prender e fechar tantas lojas. Covarde. Prefeito é outro, aceitou o lockdown porque Leite ameaçou cortar os recursos do municipio, que acarretaria em servidores publicos sem salario. O empresario pode quebrar, destruir familias com funcionarios desempregados e endividados até o ultimo fio. Genocida é quem vai matar o povo de fome e tristeza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui