Após se acorrentar em poste, homem que caiu em possível golpe tem situação resolvida com ajuda da Prefeitura de Sério

Paulo Roberto Fontana (60) pagou R$ 50 mil por uma casa que seria entregue em quatro meses. Um ano depois, ela ainda não foi finalizada e ele não consegue mais contato com os responsáveis pela construção


0
Homem acorrentou um de seus braços em um poste de sustentação de placas na manhã desta segunda-feira (18) (Foto: Gabriela Hautrive)

Um homem de 60 anos, natural de Lajeado, chamado Paulo Roberto Fontana, se acorrentou em um poste de sustentação de placas de rua na manhã desta segunda-feira (18), no município de Sério. Em frente à prefeitura, ele pedia para que sua situação fosse revolvida. Conforme Fontana, ele sofreu um possível golpe ao pagar R$ 50 mil por uma casa e não ter ela concluída. Desde então, estaria morando na rua, após sair da casa de aluguel que residia em Santa Clara do Sul. “Levei o golpe e agora estou na rua, não tenho onde morar”, afirmou o morador para a reportagem.

Enquanto estava acorrentado, ele disse que só sairia do local se o homem que fez o negócio da casa fosse até lá. Porém, após auxilio de profissionais da prefeitura, Brigada Militar e profissionais da área da saúde, ele aceitou deixar o local e ir até a casa que comprou. O imóvel, que está quase concluído, fica localizado em Linha Porongos, no interior de Sério.

Morador Paulo Roberto Fontana concedeu entrevista para a Rádio Independente (Foto: Gabriela Hautrive)

A casa já está em pé, tem portas e janelas. Ainda faltam fazer alguns reparos e instalar água e luz. A prefeitura se colocou a disposição de contratar uma outra construtora para finalizar o serviço. Além disso, Paulo Roberto ficará em uma casa provisória, por cerca de duas semanas, que é o tempo estimado para que a casa dele seja finalizada. A administração municipal ainda iria contatar o homem que fez o negócio com o morador para obter a chave da residência.

Para a reportagem, Fontana contou que se acorrentou no poste em forma de protesto. “A questão não tem nada a ver com a Prefeitura de Sério, é que uma das pessoas que que está junto, que me vendeu as terras aqui no interior de Sério, trabalha na prefeitura por isso eu fiquei em frente em frente à prefeitura”, explica.

Paulo aceitou deixar o local após conversar com profissionais da saúde (Foto: Gabriela Hautrive)

Segundo o morador, ele comprou o terreno em Linha Porongos do mesmo homem que vendeu a casa, pelo valor de R$ 100 mil, porém, nesse negócio, foram feitos os papéis necessários e tudo ocorreu bem. Depois, em um segundo momento, em março de 2023, contratou as mesmas pessoas para fazerem a construção da casa pelo valor de R$ 50 mil, mas a residência não foi finalizada e ele não tem retorno por parte dos construtores. “Não tenho onde morar, meu endereço é aqui em Sério, minhas terras estão aqui. Eles colocaram anúncios falsos no Facebook”, relata.

O combinado era que a casa fosse entregue pronta, faltando apenas a pintura, segundo Fontana. “Me deram o prazo de quatro meses para a casa ficar pronta e até hoje não ficou. Está ai a casa, um pouco construída, um pouco não, e eu não tenho onde morar”, ressalta. Após a ajuda da prefeitura e movimentações feitas na manhã desta segunda-feira, Fontana disse que a situação, de momento, está resolvida. Ele foi levado para um Posto de Saúde da cidade, onde receberia alguns atendimentos para ver se estava tudo bem com sua saúde, e depois seria conduzido para uma casa onde ficará de forma provisória.

Casa adquirida por Paulo está localizada em Linha Porongos, no interior de Sério (Foto: Gabriela Hautrive)

Responsável pela construção

A reportagem da Rádio Independente tentou contato com um dos responsáveis pela construção da casa, mas até o momento não obteve nenhum retorno e se coloca disposição para ouvir a versão dele sobre o fato.

Texto: Gabriela Hautrive
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui