Argentina ratifica novo acordo de 45 bilhões de dólares com o Fundo Monetário Internacional

País tenta ainda frear uma inflação de mais de 50% ao ano


0
Foto: Divulgação

O Senado da Argentina aprovou na quinta-feira (17) um novo acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), permitindo a reestruturação da dívida do país, de US$ 45 bilhões, com o qual tentará frear a inflação, de mais de 50% ao ano.

O projeto obteve 56 votos a favor, 13 contra e três abstenções, em uma sessão que durou quase dez horas. A praça do Congresso foi cercada sob forte vigilância policial, após os acontecimentos da semana passada, quando a Câmara dos Deputados aprovou o empréstimo, e manifestantes apedrejaram o prédio e quebraram algumas janelas, incluindo as do gabinete da vice-presidente Cristina Kirchner.

O empréstimo servirá para reestruturar o programa stand-by recebido em 2018 durante o governo do liberal Mauricio Macri, cujos vencimentos de cerca de US$ 19 bilhões este ano, outros US$ 20 bilhões em 2023 e mais US$ 4 bilhões em 2024, a Argentina não pode pagar. Para entrar em vigor, o acordo deverá ser submetido à aprovação da diretoria do FMI, em Washington (EUA).

O presidente argentino Alberto Fernández, de centro-esquerda, agradeceu aos parlamentares que apoiam o projeto. “Vamos ter um horizonte mais claro. Saberemos que há um problema que não foi resolvido, mas que começa a ser resolvido, que é essa dívida maldita que herdamos”, disse ele.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui