As medidas preventivas que podem evitar ataques atrozes como o que ocorreu em Saudades, em SC

Um espaço de escuta abre uma válvula de escape que alivia pressões e pode dissuadir alguém de cometer um ato de atrocidade, observa o promotor Sérgio Diefenbach


1
Foto: Arquivo

O promotor de Justiça Sérgio Diefenbach abordou a tragédia de Saudades, em Santa Catarina, em sua participação no quadro “Direto Ao Ponto” desta quinta-feira. O integrante do Ministério Público observa que esse é um ponto fora da curva. “Felizmente, não faz parte da cultura brasileira”.


ouça o quadro

 


Diefenbach destaca medidas preventivas que podem ser tomadas, como observação, controle de acessos e verificação de quem está circulando no entorno das escolas e que possam oferecer risco à comunidade escolar.

O promotor defende um olhar atento para qualificar mecanismos de detecção de pessoas com distúrbios e disfunções de comportamento. Segundo ele, esses sinais são perceptíveis. Diefenbach entende que “um espaço de escuta abre uma válvula de escape que alivia pressões” e pode dissuadir alguém de cometer um ato de atrocidade.

1 comentário

  1. Importante escutarmos uns aos outros começando na própria casa, familiares com quem temos responsabilidade primeira! Muitos sinais ou gritos de socorro geralmente já existem mas não prestamos atenção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui