As perguntas sem resposta da pandemia

Opinião, os bastidores da política e as notícias 'quentes' da região na coluna do Fabiano Conte


0
Foto: Reprodução / Flickr

Pergunta sem resposta

No Chile, mesmo com 70% da população recebendo uma dose e 50% das pessoas completando a vacinação com duas doses, as mortes seguem em patamar elevado. Média de 120 por dia. Números parecidos no Uruguai. Mesmo com percentual de vacinados maior, a média de mortes é de 40 por dia, numa população de apenas 3,4 milhões. Nos Emirados Árabes, estão oferecendo terceira dose de Pfizer para quem tomou a Coronavac. Todo mundo quer vacinar. Mas somente isto amenizará os efeitos da doença? Será que efetivamente todas as vacinas são seguras e nos darão garantia por um determinado tempo. Perguntas ainda sem respostas. Somente o tempo para esclarecer. Até lá, vacina sim, e todos os cuidados possíveis.


É do jogo político

Em véspera de eleição, o governador Eduardo Leite lançou os projetos Pavimenta e o Iconicidades “com o objetivo de melhorar a qualidade de vida nos municípios. Cidades criativas, inovadoras, seguras e com boa infraestrutura”. Belas iniciativas e que se colocadas em prática devem ter o reconhecimento necessário. Leite tenta, com isto, ter o apoio dos prefeitos e ampliar sua base política para 2022.


Curtas:

*Em Marques de Souza, nas redes sociais, a discussão mais recente foi sobre a necessidade de um parque às margens da BR-386. Obra foi iniciada no final do governo passado. Há quem defenda a conclusão. Outros não.
*Imigrante continua com grande dificuldade de comunicação via celular. Somente uma operadora funciona, a Tim. E quando da problema, ninguém consegue falar ou usar a internet.
*Lajeado terá em breve a loja da Havan, Magazine Luiza e Casas Bahia. A Havan em sede própria às margens da BR-386. A Magazine na sala onde funcionava a loja Patussi, ao lado do Banco do Brasil; e a Casas Bahia, no prédio onde estava o Bradesco.
*A Câmara aprovou a MP que viabiliza a privatização da Eletrobras e abre caminho para outras desestatizações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui