Assessor explica cobrança do estacionamento rotativo em Lajeado, mesmo com restrições de circulação no centro

Por determinação do Governo do Estado, somente atividades consideradas como essenciais devem permanecer operando.


7
São cerca de 1,5 mil vagas na área azul em Lajeado, para 45 funcionários da Stacione (Fotos: Natalia Ribeiro / Arquivo)

Com maior risco de contágio pelo coronavírus, o governo do estado classificou todas as regiões em bandeira preta no Modelo de Distanciamento Controlado. Neste estágio, há um maior grau de restrições às atividades comerciais, industriais, de serviços e demais setores econômicos. As aulas presenciais também são afetadas. Somente atividades consideradas como essenciais permanecem operando.

Em Lajeado, a população que circula pelo centro questiona a continuidade da cobrança do estacionamento rotativo, em função da menor circulação de pessoas e também o motivo de a concessionária do serviço, a Stacione, não ser atingida pelos decretos do estado e município. O assessor jurídico da Prefeitura, Natanael dos Santos, reconhece as dúvidas. Ele diz que a administração marcará uma reunião com a empresa para discutir.

Nesse encontro serão estabelecidos critérios para que haja ou não o funcionamento, explica. “A gente tem ciência dessa falta de circulação na cidade. Contudo, é uma concessão de serviço publico que a Stacione tem, essa exploração do estacionamento. Então, o município de Lajeado vai fazer uma reunião com o pessoal da Stacione para definirmos se prossegue ou não essa cobrança do estacionamento”.


ouça a entrevista

 


 

Nesta segunda-feira (1º), Lajeado divulgou novo decreto restritivo, que se enquadra às novas determinações do Governo do Estado na tentativa de conter a expansão da Covid-19 no RS.

A Cogestão regional foi suspensa pelo menos até o dia 7 de março devido ao agravamento da pandemia. Aqui você tem um detalhamento do que pode e não pode abrir.

7 Comentários

    • O Assessor do Município cita que a Prefeitura – “vai fazer uma reunião com o pessoal da Stacione para definirmos se prossegue ou não essa cobrança do estacionamento” –

      Pergunto:
      1- fizeram reunião com os empreendedores (logistas, donos de restaurantes, empresários, autônomos,…)?

      2 – o transporte público, também é um serviço concedido, e a Prefeitura teve dificuldades em reduzir horários e número de Ônibus circulando?

      O que se observa é que “sobra espaços” no centro da cidade e “falta espaço” nos ônibus.

      Concordo que o momento é de cuidados, distanciamentos, e todos DEVEM COLABORAR, mas me parece que alguns valores estão “invertidos”.

  1. kkkkkkkkkk super-essencial cobrar estacionamento!! Loja não pode abrir, mas dinheirinho tem que cair nos cofres da “Alcione” como dizia o saudoso vereador Scheffer.

  2. Quem criou o monstro que o embale.
    Serviço essencial????????
    o mundo caindo, negócios e empregos sendo pulverizados e cobrando dos poucos heróis que estão lutando e tentando sobreviver.
    Acho que os cobradores sao imunes.
    Nos poupem desta balela.

  3. Lojas que abrem são notificadas ou multadas por não respeitarem o decreto.
    Qual será a multa para esse grupo que não parou de faturar em nenhum momento?
    Ou é privilégio ou perdeu-se a noção do que são serviços essenciais.

  4. Quem sabe, se o prefeito e seus companheiros dos bairros nobres pagasse o iptu coerente com o tamanho de seus terrenos e grandiosidade de suas construções, talvez o cidadão não precisasse ser taxado duas vezes….

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui